Novo Código da Fifa permite fim de jogos em caso de racismo

A medida dará liberdade, porém, é vista como a última ação que um árbitro deverá tomar para encerrar a partida

Danny Rose pediu para família não comparecer à Copa do Mundo por questões raciaisDanny Rose pediu para família não comparecer à Copa do Mundo por questões raciais - Foto: AFP

A Fifa anunciou nesta quinta-feira (11) o novo Código Disciplinar da entidade. A principal mudança envolve o combate ao racismo. Pelas novas normas, o árbitro poderá até encerrar uma partida e atribuir a derrota ao time responsável por incidentes racistas.

A medida, contudo, é vista como a última ação que um árbitro tomará diante de atos racistas. Antes disso, ele precisará solicitar um anúncio público pedindo que o comportamento pare e, caso não resolva, suspender a partida temporariamente até que os atos se encerrem. Se o problema continuar, a decisão de encerrar o jogo poderá ser posta em prática.

Leia também:
Rondón sofreu com racismo e foi goleador na Inglaterra
Futebol brasileiro já tem 14 denúncias de racismo em 2019
Devido ao racismo, inglês cogita pendurar as chuteiras


A Fifa salienta que a definição e o conteúdo da visão antirracista dela está "totalmente alinhada com os mais altos padrões internacionais, incluindo o julgamento de qualquer discriminação por motivo de raça, cor da pele, origem étnica, nacional ou social, gênero, deficiência, orientação sexual, religião, opinião política ou qualquer outra condição ou outra razão". O novo Código Disciplinar da Fifa entrará em vigor a partir do dia 15 de julho deste ano.

Veja também

Sede em Salvador e início dia 21 de julho: Copa do Nordeste está de volta
Futebol

Sede em Salvador e início dia 21 de julho: Copa do Nordeste está de volta

Luanderson lamenta ausência de torcida em futuro retorno aos campeonatos
Futebol

Luanderson lamenta ausência de torcida em futuro retorno aos campeonatos