Pernambuco encerra Jogos Escolares com 33 pódios

No último dia dos Jogos Escolares da Juventude, em Natal, Pernambuco somou ouros no judô e no handebol

Time de handebol feminino do Anglo Líder, campeão dos Jogos EscolaresTime de handebol feminino do Anglo Líder, campeão dos Jogos Escolares - Foto: Wander Roberto/Exemplus/COB

Após 14 dias de disputa envolvendo mais de cinco mil atletas do Norte ao Sul do País, a maior competição escolar do Brasil chegou ao fim neste domingo (25), em Natal (RN). Para Pernambuco, os últimos dias dos Jogos Escolares da Juventude (JEJ) 2018 foram de medalhas e títulos, com a conquista de ouros no handebol feminino e no judô.

Com as medalhas conquistadas no final de semana, Pernambuco encerra sua participação nos JEJ com 13 ouros, seis pratas e 14 bronzes. O total de 33 pódios iguala as 33 medalhas conquistadas em 2017 como o recorde pernambucano. A edição 2018 dos JEJ foi a primeira em novo formato, que incluiu uma fase regional para as modalidades coletivas antes da nacional. No regional do Nordeste, Pernambuco foi o estado com maior número de medalhas, conquistando 11.

No final de semana as meninas do handebol do Anglo Líder fizeram grandes jogos. Nas duas competições, infantil (15 a 17 anos) e mirim (12 a 14), as pernambucanas enfrentaram as capixabas do Colégio Castro Alves, no sábado (24), em partidas válidas pelas semifinais dos torneios. A equipe mirim foi para a disputa de terceiro lugar, a qual perderam por 28x19 para o Colégio Estadual Humberto de Campos, do Paraná, e ficaram com a quarta colocação.

No infantil não teve quem segurasse as pernambucanas. As meninas se mantiveram no caminho das vitórias e venceram o Castro Alves por 25x20, chegando à final contra o Colégio Amorim/SP. Em uma partida duríssima, o Anglo saiu atrás no placar, mas a equipe se manteve forte, virou ainda no primeiro tempo, e foi para o intervalo com 12x9 de vantagem no placar. No segundo tempo as meninas mantiveram a pressão e conquistaram o título dos Jogos Escolares da Juventude após nove anos ao vencer por 22x18.

Rafaela Barros, central e um dos principais destaques da equipe, falou sobre o título. “Foi uma experiência maravilhosa voltar para o nosso lugar, ano passado demos uma escorregada mas esse ano treinamos muito, nos esforçamos muito e colocamos Pernambuco no lugar dele, que é o primeiro lugar nos JEJ” comentou a atleta. O grupo é comandado pelo auxiliar técnico da seleção brasileira feminina de handebol, Cristiano Rocha. 

No sábado (24), o judô levou quatro bronzes em disputas do infantil (15 a 17 anos). Hanna do Nascimento, da AMEC de Igarassu, foi bronze na categoria ligeiro infantil, Luciana da Silva, do Colégio Auxiliadora, no Recife, ficou com a terceira posição na categoria meio leve, Tatiane dos Santos, da Escola Professor Simão Amorim Durando, de Petrolina, subiu ao pódio na categoria leve e fechando o dia de bronzes Gabriel Nagai, do Colégio Elo, no Recife, foi medalhista na categoria leve.

Neste domingo, o judô pernambucano fez ainda mais bonito graças às feras Kaio Santos e Leonardo Sant’ana. Kaio, de 16 anos, levou seu primeiro ouro nos JEJ na categoria meio-médio (até 90 kg). O atleta do Colégio Cardeal de Arcoverde derrotou David Ramos, de Minas Gerais, em menos de um minuto, aplicando um wazari e um ippon.

O outro ouro do dia veio com um nome já bem conhecido. Leonardo Sant’ana, na categoria pesado (+90 kg) conquistou seu quarto título de Jogos Escolares da Juventude ao derrotar Guilherme Cabral, de São Paulo. O atleta do Colégio de Aplicação da UPE e das equipes de base da seleção brasileira já foi campeão mundial escolar.

Os judocas medalhistas dos últimos dois dias se juntam a Rebeka Venceslau, da Escola Municipal Santa Edwirges, em Jaboatão dos Guararapes, que foi ouro na categoria mirim até 40 kg, e Vivian Ramos, da Escola Estadual Padre Luiz Cassiano, em Petrolina, prata na categoria mirim até 48 kg. Totalizando oito medalhas para o judô pernambucano.

Veja também

Países europeus endurecem regras e exigem máscaras mais resistentes contra Covid-19
Coronavírus

Países europeus endurecem regras e exigem máscaras mais resistentes contra Covid-19

Com UTIs lotadas, Rondônia transferirá pacientes com Covid-19 para o Rio Grande do Sul
Colapso em Rondônia

Com UTIs lotadas, Rondônia transferirá pacientes com Covid-19 para o Rio Grande do Sul