Raptors superam Warriors e conquistam NBA pela 1ª vez

O Golden State havia impedido o Toronto de festejar em casa ao vencer o quinto jogo da série, no Air Canada Centre

Kawhi Leonard comemora seu segundo título na NBAKawhi Leonard comemora seu segundo título na NBA - Foto: AFP

O Toronto Raptors tornou-se, na madrugada desta sexta-feira (14), a primeira equipe de basquete do Canadá a conquistar o título da NBA. Fora de casa, o único time canadense entre os 30 da principal liga de basquete do mundo derrotou o Golden State Warriors por 114x110, na Oracle Arena, pelo sexto jogo da série decisiva e fechouo confronto por 4x2. Kawhi Leonard, que liderou os Raptors na série, foi eleito o MVP das finais pela segunda vez (a primeira foi em 2014, pelo San Antonio Spurs).

Na segunda-feira (10), o Golden State havia impedido o Toronto de festejar em casa ao vencer o quinto jogo da série, no Air Canada Centre.

Leia também:
Ex-Spurs, Tony Parker anuncia aposentadoria após 18 temporadas na NBA
NBA: Drake rouba a cena com encarada e ofensas na final

A festa canadense, então, acabou transferida para Oakland, onde a equipe da Califórnia mandou seus jogos até esta temporada -irá para San Francisco na próxima. Para a maioria dos torcedores do Raptors, o jeito foi vibrar do lado de fora do seu ginásio, no local conhecido como Jurassic Park –a mascote do time é um dinossauro.

Klay Thompson, um dos principais nomes de Golden State na temporada, saiu do duelo no terceiro quarto, sentindo dores no joelho esquerdo após sofrer falta em uma enterrada. Quando já estava deixando a quadra, carregado, o armador ainda voltou para bater os lances livres, chegando a 30 pontos no jogo. Isso porque, caso fosse substituído naquele momento, não poderia mais retornar para a partida, algo que de fato não aconteceu. 

Como se não bastasse a lesão de Kevin Durant e o título perdido, o Golden State Warriors anunciou oficialmente que Klay Thompson sofreu uma ruptura no ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo. O prazo para recuperação é de seis a nove meses e o ala-armador deve voltar apenas em 2020, assim como KD.

A partida também marcou a despedida de Golden State da Oracle Arena, já que a franquia deixará a cidade de Oakland para se retornar a San Francisco após mais de meio século.

Comandado pelo ala Kawhi Leonard, 27, o Raptors atingiu seu ápice 24 anos após entrar na NBA, em 1995. Nas temporadas recentes, a equipe se habituou a fazer boas campanhas na fase regular, mas decepcionou nos playoffs: perdeu duas semifinais de conferência seguidas por 4x0.

Os fracassos recentes impulsionaram o sucesso agora obtido, já que fizeram o nigeriano Masai Ujiri, presidente do Raptors, tomar uma decisão considerada radical no início desta temporada. Para trazer Kahwi, um dos melhores jogadores da liga e campeão em 2014 com o San Antonio Spurs, mas que ainda se recuperava de lesão, os canadenses abriram mão do armador DeMar DeRozan, maior pontuador das história da franquia.

A franquia foi acusada de deslealdade com o ídolo, mas a aposta de risco deu certo. Entre os melhores momentos da performance avassaladora de Kawhi nos playoffs, destaque para a bola no estouro do cronômetro contra o Philadelphia 76ers, que levou o Raptors para a final do leste.

Ele também comandou a reação do time na decisão de conferência. Após perder os dois primeiros jogos para o Milwaukee Bucks, o ala não só conseguiu defender com eficiência as investidas do grego Giannis Antetokounmpo, até então imparável nos playoffs, como também brilhou no ataque para definir a vitória em seis partidas.

Na série contra o Golden State, Kawhi voltou a brilhar, mas, muito visado pela marcação, também contou com ótimas atuações do elenco de coadjuvantes da franquia.

O destaque de Toronto no duelo decisivo, por exemplo, foi Kyle Lowry, que além de marcar os 11 primeiros pontos do time no jogo, terminou a partida com 26 pontos, 7 rebotes e 10 assistências. Pascal Siakam ainda conseguiu 26 pontos, 10 rebotes e três assistências.

As performances de Siakam, também no primeiro jogo da série, de Danny Green (que também chegou do Spurs na troca por DeRozan), no terceiro, e de Serge Ibaka, no quarto, foram fundamentais para o título inédito do Toronto. Marc Gasol e Fred VanVleet completam a lista de destaques da campanha vitoriosa.

Já o Golden State perdeu a chance de emplacar o tricampeonato consecutivo, algo que só Los Angeles Lakers, Boston Celtics e Chicago Bulls conseguiram em mais de 70 anos de história da NBA. O último a conseguir isso foi o Lakers, em 2000, 2001 e 2002.

O time da Califórnia, que passou a dominar a liga com a chegada de Steve Kerr e as  afirmaões de Stephen Curry, Klay Thompson e Draymond Green, contabiliza três títulos (2015, 2017 e 2018) e dois vices (2016 e 2019) nas últimas cinco temporadas.

Kevin Durant se juntou à equipe em 2016 e participou de duas conquistas. Foi com a presença do ala que o Golden State ganhou a fama de imbatível, mas ele se lesionou nas semifinais de conferência e ficou um mês sem atuar. Só retornou no quinto jogo da decisão, quando voltou a se machucar, e com mais gravidade. A previsão é que a lesão no tendão de Aquiles tire um dos maiores astros da NBA de ação por até um ano. Outros atletas importantes para o time, como Thompson, Andre Iguodala, DeMarcus Cousins e Kevon Looney também tiveram problemas físicos ao longo da decisão.

A equipe canadense soube aproveitar, se impôs e obteve um placar (4x2) que muitos apostavam que seria o do tricampeonato do Golden State.

Vencedores e perdedores terminam a temporada com algo em comum: a incerteza sobre o futuro. Além da lesão, Durant tem a possibilidade de negociar um novo contrato com outras equipes da liga. Thompson e Kawhi também são agentes livres e poderão fazer o mesmo.

Veja também

Bruna Tomaselli vai representar Brasil na temporada 2021 da W Series
Automobilismo

Bruna Tomaselli vai representar Brasil na temporada 2021 da W Series

Brasileira nada mais de 30 horas ininterruptas e bate recorde mundial
Natação

Brasileira nada mais de 30 horas ininterruptas e bate recorde mundial