Saiba como se planejar para ir à Olimpíada de Tóquio-2020

A um ano dos Jogos, Folha de Pernambuco traz dicas de como se organizar para acompanhar evento in loco

Para Paulino, torcedor também tem seu "ciclo olímpico"Para Paulino, torcedor também tem seu "ciclo olímpico" - Foto: José Britto

Falta exatamente um ano para o início dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020. Tempo de sobra para pesquisar sobre a competição, as modalidades, os principais atletas e, quem sabe, até aprender algumas palavras em japonês. Mas não se engane. Se o objetivo for acompanhar de perto o principal evento multiesportivo do mundo, que acontecerá entre os dias 24 de julho e 9 de agosto, é necessário começar o planejamento desde cedo. Para os que querem ir ao Japão para torcer pelo Brasil nas Olimpíadas e ainda não se organizaram, vale anotar as dicas abaixo de quanto será preciso desembolsar para transformar o sonho em realidade.

Segundo projeção divulgada pela Cuponation, empresa de cupons de desconto online, uma pessoa sozinha precisaria separar aproximadamente R$ 3,8 mil para ir ao Japão. A pesquisa levou em conta um pacote que incluiu gastos com passagens aéreas, hotel, locomoção e alimentação. A Cuponation, contudo, não divulgou quais hotéis e companhias aéreas foram consultados para o levantamento.

Leia também:
Trabalho remoto vira opção para salvar Tóquio-2020 de caos
Brasil tem 37 atletas classificados para Tóquio-2020
Pódios de Tóquio-2020 serão com plástico reciclado

Para um casal, o gasto total da viagem seria de R$ 7,5 mil. Os cálculos, porém, são preliminares. Por exemplo, a quantia pode variar dependendo se o torcedor já tem ou não passaporte - a retirada do documento custa R$ 257,25, segundo dados da Cuponation. O visto para o Japão é obrigatório, portanto é necessário pagar uma taxa de serviço de R$ 161 (imposto incluso) ao solicitá-lo e outra na retirada no valor de R$ 97.

Segundo a Cuponation, o preço médio de três refeições econômicas por dia no Japão seria de 1.800 ienes (R$ 62). O valor do ticket unitário do transporte público no país é 210 ienes (R$ 7,30). Os bilhetes mais baratos dos Jogos giram em torno de R$ 90, mas há entradas que podem passar dos R$ 400, como o da abertura do evento ou as de finais. A empresa suíça Match Hospitality AG é a revendedora oficial de ingressos dos Jogos Olímpicos Tóquio-2020 em território brasileiro.

A pesquisa citou o exemplo de um casal que deseja começar a juntar dinheiro a partir deste mês para as Olimpíadas. Como base, considerou a renda familiar em R$ 5 mil. A projeção indica que seria preciso juntar R$ 625 por mês para, após 12 meses, ter o valor necessário para passar quatro dias no país asiático.

Vale citar que nem todos os hotéis de Tóquio abriram reservas para julho do ano que vem. Também há a diferença de que a Cuponation levou em conta o trajeto São Paulo-Tóquio. Um pernambucano teria, além do gasto citado acima, que arcar com o preço de uma passagem do Recife para a capital paulista. Um acréscimo que pode chegar a R$ 1 mil.

O empresário Paulino Lamenha, de 46 anos, reforça a necessidade de um bom planejamento. "Na primeira Olimpíada que fui, em Londres (2012), eu comecei a juntar dinheiro oito anos antes. Inclusive sobrou grana para os Jogos de 2016, no Rio. Como os custos não foram tão altos, por ser no Brasil, eu consegui juntar mais para Tóquio. O torcedor também tem seu 'ciclo olímpico' para se preparar", brincou o pernambucano, que já está de malas prontas para outro evento, o Pan-Americano, no Peru, que começa sexta.

Para quem deseja ficar mais do que quatro dias e aproveitar um número maior de modalidades, incluindo as fases finais, é preciso preparar o bolso. “O custo em Tóquio será mais alto do que foi em Londres e no Rio de Janeiro. Eu vou com um grupo e pretendo ir para a abertura e ficar quase todo o período dos Jogos no país. Acredito que vou gastar aproximadamente R$ 10 mil”, disse o funcionário público Leonardo Reis, de 40 anos. “Você precisa ficar atento para comprar a passagem e os ingressos assim que abrirem as vendas”, alertou.

Leonardo vai com um grupo de amigos a Tóquio, incluindo Paulino e também a engenheira Stella Lisboa, de 38 anos, que deu uma dica importante para quem deseja, assim como o trio, ir para as Olimpíadas. "O ideal é você ir não somente para assistir aos torneios, mas também para conhecer a cidade e interagir com as pessoas ", pontuou.

Jogos Olímpicos

Será a segunda vez na história que o Japão será sede dos Jogos Olímpicos - a primeira foi em 1964. O país receberia o evento também em 1940, mas o torneio foi cancelado por conta da Segunda Guerra Mundial. Ao todo, a Olimpíada terá 33 modalidades, sendo cinco novas (surf, karatê, escalada, skate e beisebol/softbol). Foram colocados à venda 7,8 milhões de ingressos e a expectativa da organização é arrecadar R$ 3 bilhões, o que seria um recorde na história da competição. Ao todo, a nação asiática investiu US$ 12,6 bilhões (R$ 47,3 bilhões), somando custos operacionais e de infraestrutura.

 

Veja também

São Paulo goleia o Taboão por 29x0 pelo Paulista feminino
Futebol feminino

São Paulo goleia o Taboão por 29x0 pelo Paulista feminino

Na Ressacada, Sport empata com Avaí no primeiro jogo das oitavas
Copa do Brasil sub-20

Na Ressacada, Sport empata com Avaí no primeiro jogo das oitavas