Sem Neymar e com reservas, PSG vence antes de 'decisão' contra o Real

Paris Saint-Germain alcançou mais uma vitória no Campeonato Francês ao derrotar o Troyes, por 2 a 0

Di Maria comemora golDi Maria comemora gol - Foto: Frank Fife/ AFP

Sem poder contar com o atacante Neymar, que passou por uma cirurgia neste sábado (3), e com muitos reservas em campo, o Paris Saint-Germain alcançou mais uma vitória no Campeonato Francês ao derrotar o Troyes, por 2 a 0, fora de casa, em jogo válido pela 28ª rodada da competição. Di María e Nkunku anotaram os gols da vitória do time visitante.

Com o resultado, o PSG se mantém tranquilo na liderança do Campeonato Francês, com 74 pontos, 14 a mais em relação ao segundo colocado, o Monaco, que na sexta-feira (2) derrotou o Bordeaux, por 2 a 1, em casa. O time de Paris acumula agora 24 vitórias em 28 jogos no Francês. O Troyes, por sua vez, está em uma situação difícil. Ocupa o 18º lugar, com 28 pontos, e luta para não ser rebaixado.

Leia também:
Copa da França: sem Neymar, Di Maria decide, e PSG avança
PSG diz que cirurgia de Neymar foi bem-sucedida

O PSG utilizou muitos reservas neste sábado por causa do jogo de volta das oitavas de final da Liga dos Campeões, que acontece na próxima terça-feira (6), em Paris, contra o Real Madrid. Na primeira partida, em Madri, o time espanhol venceu por 3 a 1 e pode perder por até um gol de diferença que se classifica para as quartas de final. Já o PSG passa de fase se ganhar por 2 a 0. Se fizer 3 a 1, o duelo vai para os pênaltis. Se o Real anotar dois ou mais gols, a equipe de paris precisa vencer por três gols de diferença.

De olho no Real Madrid, o técnico do PSG, Unai Emery, resolveu poupar alguns jogadores, como Cavani, Mbappé, Pastore e Marquinhos. Eles não foram relacionados nem para a reserva. O brasileiro Daniel Alves começou a partida no banco e entrou no segundo tempo. Dessa forma, o PSG teve Draxler, Lo Celso e Di María no ataque titular.

Mesmo com muitos reservas, o PSG foi muito superior em relação ao rival no primeiro tempo. Teve 68% da posse de bola e deu 11 chutes a gol, contra apenas dois do adversário. A sorte do Troyes é que o goleiro Zelazny estava inspirado e salvou o time com ótimas defesas. Em uma delas, caiu no cantinho para espalmar a bola para escanteio em um chute forte de Lo Celso. Logo depois, Zelazny evitou um gol de bicicleta de Nkunku.

Depois de tanto tentar no primeiro tempo, o PSG precisou de apenas dois minutos da segunda etapa para abrir o placar. A defesa do Troyes não conseguiu afastar uma bola, que sobrou para Draxler tocar para Di María. O argentino ficou cara a cara com Zelazny e deu toque sutil por cima para balançar as redes.

O Troyes parecia não ter forças para reação. Dessa forma, o PSG sofreu poucos sustos na sua defesa. Aos 32 minutos do segundo tempo, o time conseguiu ampliar a vantagem com Nkunku, que estava em posição duvidosa. Jogadores e comissão técnica do Troyes se revoltaram porque viram uma falta a favor pouco antes do gol.

Com muitas mudanças na equipe, Emery levou para o jogo o jovem Timothy Weah, filho de George Weah, melhor jogador do mundo pela Fifa em 1995 e hoje presidente da Libéria. Timothy começou a partida no banco de reservas e entrou em campo aos 34 minutos do segundo tempo no lugar de Lo Celso. Esta foi a sua estreia no profissional.

Na próxima rodada do Campeonato Francês, o Troyes visita o Nantes, no sábado (10), enquanto o Paris Saint-Germain recebe o Metz, no mesmo dia. Antes, porém, o time da capital francesa encara o Real Madrid, pela Liga dos Campeões.

Veja também

'Poderia ter sido de quatro', exalta Hélio dos Anjos após 1ª vitória no retorno aos Aflitos
Náutico

'Poderia ter sido de quatro', exalta Hélio dos Anjos após 1ª vitória no retorno aos Aflitos

Uefa analisa Liga dos Campeões com mínimo de 10 jogos por time
Liga dos Campeões

Uefa analisa Liga dos Campeões com mínimo de 10 jogos por time