Tininho: "Toda vez passamos por esse constrangimento"

Presidente do Santa Cruz não escondeu sua revolta pela confusão acontecida entre torcedores do Tricolor e a polícia.

Constantino JúniorConstantino Júnior - Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

Constantino Júnior, presidente do Santa Cruz, não escondeu sua revolta pela grande confusão que marcou o Clássico das Multidões desta quarta-feira (7). Próximo ao intervalo do jogo Sport x Santa Cruz, polícia e torcedores tricolores entraram em conflito, que resultou em muitos civis feridos e sendo atendidos na beira do campo. De acordo com Tininho, faltou planejamento e preparo das autoridades para lidar com a situação. A Polícia se pronunciou sobre o caso na manhã da quarta, confira.

Leia também:
'Não houve excesso', diz PM sobre ação policial em confusão na Ilha do Retiro
Súmula do clássico faz registro quase nulo de confusão na Ilha
Torcedores ficam feridos no jogo Sport x Santa Cruz
Sport e Santa Cruz empatam e se enfrentarão nas quartas

"Realmente, estou chateado, porque a gente pede muito que o torcedor vá a campo. A gente sabe da dificuldade. Pernambuco está com uma das menores médias de público do país, o que não condiz com a paixão do pernambucano por futebol. E toda vez que se joga na Ilha do Retiro, a gente enfrenta essa dificuldade", desabafou.

"São quatro catracas para um número grande de torcedores. Aí o torcedor já entra com essa sensação de ser massacrado. A gente apela tanto e estamos sendo desrespeitados dessa forma. Ali tem pais de família, diretores, ex-diretores. A gente sabia quantos torcedores vinham pelos ingressos vendidos para isso. E como se coloca num espaço bem menor para a capacidade que era prevista? Por que não houve planejamento? Se houvesse mais espaço, dificilmente aconteceria isso", observou Tininho.

Segundo o dirigente, o Santa Cruz vai se empenhar para buscar soluções. Até mesmo porque Leão e Cobra Coral voltam a se enfrentar na próxima quarta-feira (14), pelas quartas de final do Campeonato Pernambucano, na Ilha do Retiro. "Vamos entrar com nosso departamento jurídico para tomarmos providências cabíveis. O clube vai tentar dar toda a assistência a esses torcedores que acabaram feridos. O Santa Cruz se coloca à disposição dessas famílias", reforçou Tininho, que isentou a PM de culpa pelo ocorrido.

"Não estou apontando dedo para a Polícia Militar, porque sei que é um trabalho em conjunto, Mas ninguém sai de casa para apanhar. É um despreparo muito grande, mas é uma coisa recorrente. Toda vez o torcedor do Santa Cruz passa por esse constrangimento. A gente lamenta, espera que providências sejam tomadas para buscar soluções. Já vamos ter um clássico na próxima semana aqui. Será que vai ser assim de novo?", questionou.

Veja também

Na imaginação: o dia em que Pelé "contratou" Maradona para o Santos
Luto

Na imaginação: o dia em que Pelé "contratou" Maradona para o Santos

Após atuar 90 minutos, William Alves explica recuperação da Covid-19 e cita readaptação
Santa Cruz

Após atuar 90 minutos, William Alves explica recuperação da Covid-19 e cita readaptação