A gastronomia e as suas várias faces

Se formar no curso não significa necessariamente ser um chef de cozinha

Segundo a coordenadora da graduação no Senac, Sandra Marinho, existem várias áreas de atuação para um gastrônomoSegundo a coordenadora da graduação no Senac, Sandra Marinho, existem várias áreas de atuação para um gastrônomo - Foto: Brenda Alcântara/Folha de Pernambuco

Conhecer, planejar, organizar, supervisionar e manipular. Esses são os principais pilares que envolvem a gastronomia, e quase todos vão de encontro com a mística que rodeia a profissão. Para muitas pessoas, todo gastrônomo deve, necessariamente, se tornar um chef de cozinha, mas a realidade é bem diferente. O mercado oferece diversas áreas de atuação. Para se encontrar em alguma, o aluno deve estar atento a todas as vertentes que o curso pode oferecer.

“É de extrema importância que o aspirante a gastrônomo se atente ao projeto pedagógico do curso, pois eles costumam mudar de instituição para instituição. Analisando isso, ele poderá descobrir as várias áreas de atuação que ficarão acessíveis a ele”, explicou a coordenadora do curso superior de Tecnologia em Gastronomia da Faculdade Senac, Sandra Marinho.

Leia também:
Camila quer supervisionar cozinhas


“Outra coisa importante que eu sempre gosto de frisar é que, se a pessoa quer se tornar um cozinheiro, não aconselho o curso de gastronomia, justamente pelas várias possibilidades que ele oferece. Se o foco é único e exclusivo na cozinha, sugiro que se procure de fato um técnico mais voltado para a área, porque esse sim pode oferecer a fundo as necessidades práticas que um chef precisa”, complementou a gestora.



O gastrônomo - ou gastrólogo, como também é chamado - pode atuar como consultor, prestando assessoria para a abertura de bares ou restaurantes, ou propondo melhorias para estabelecimentos já abertos; estar presente em áreas como panificação; se tornar chef pâtessier (confeitaria); investir na área de segurança alimentar, onde o profissional inspeciona cozinhas industriais e restaurantes para verificar o cumprimento das normas de higiene e armazenamento dos alimentos, e até mesmo empreender, ou seja, abrir seu próprio negócio.

A parte de docência também acaba sendo bastante procurada pelos profissionais do ramo, até porque, dentre as várias áreas que a profissão abrange, ela também possui um forte apelo. Sem contar que, ter o dom de ensinar e escolher difundir a gastronomia também pode ser uma boa saída para entrar no mercado de trabalho.

Para isso, assim como em todas as outras áreas, será preciso, além do curso superior, uma especialização voltada para o ramo que se deseja seguir. Afinal, possuir um vasto conhecimento sobre o assunto e estar atualizado quanto à necessidade do mercado pode ser o grande diferencial de um profissional na hora de ir atrás dos seus objetivos.