Após admitir dificuldade com óleo, governo lança site 'Mancha no litoral'

O 'Mancha no litoral' diz que a avaliação de impacto ambiental, a orientação sobre o descarte e a definição sobre prazos de limpeza estão sob responsabilidade do Ibama

Portal do GovernoPortal do Governo - Foto: Reprodução

Um dia depois de o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, admitir dificuldade no monitoramento das manchas de óleo no Nordeste, o governo de Jair Bolsonaro (PSL) lançou um site para divulgar informações sobre o desastre com petróleo.

O "Mancha no litoral" reúne informações sobre as ações do governo, a quantidade de resíduo recolhido, os órgãos e equipes envolvidas, as possíveis causas, além de perguntas e respostas sobre o derramamento. "O governo está 100% comprometido com as ações para solucionar os danos causados pelas manchas de óleo", destaca o site.

Leia também:
Governo cria portal de informações sobre manchas de óleo
Salles usa imagem antiga para insinuar que Greenpeace seria culpado por óleo

De acordo com as informações disponíveis, o governo vem atuando desde 2 de setembro, "de maneira integrada e ininterrupta para conter os danos causados pelo derramamento de óleo no litoral nordestino".

"Nenhum esforço foi poupado para intensificar as ações de monitoramento e limpeza das praias atingidas." Nesse período, segundo o site, foram coletadas 1.027 toneladas de resíduos em uma faixa de 2,5 mil quilômetros da costa brasileira.

Como mostrou a Folha de S. Paulo nesta quinta-feira (24), o destino do óleo é incerto. O Ibama, a Marinha e a Petrobras têm versões diferentes sobre o armazenamento do material, e os sites dos órgãos tampouco dão orientações sobre o que fazer com o petróleo recolhido –parte do trabalho de limpeza das praias é feita por voluntários.

O "Mancha no litoral" diz que a avaliação de impacto ambiental, a orientação sobre o descarte e a definição sobre prazos de limpeza estão sob responsabilidade do Ibama.

"O GAA - Grupo de Acompanhamento e Avaliação, composto pelo Ibama, Agência Nacional do Petróleo (ANP) e Marinha, vem realizando ações para a retirada do óleo encontrado nas praias. As investigações estão sendo conduzidas pela Marinha e Polícia Federal."

O site do governo também afirma que, embora a origem do petróleo ainda seja desconhecida, investigações sigilosas estão sendo conduzidas pela Marinha e pela Polícia Federal e que "análises preliminares da Petrobras indicam que foram encontradas amostras com a mesma 'assinatura' do óleo da Venezuela".

Veja também

Governo federal regulamenta turismo de trilhas no Brasil
Turismo

Governo federal regulamenta turismo de trilhas no Brasil

SUS completa 30 anos com conquistas e desafios
Saúde

SUS completa 30 anos com conquistas e desafios