Após reforma da Previdência, governo Bolsonaro troca presidência de fundo da educação

Assume o cargo Rodrigo Sergio Dias, 35, ex-presidente da Funasa (Fundação Nacional de Saúde) no governo Michel Temer

Rodrigo Sergio Dias (E) assume a presidência do FNDERodrigo Sergio Dias (E) assume a presidência do FNDE - Foto: Daniel Ribeiro/Funasa

Um dia após a aprovação da reforma da Previdência na Câmara, o Ministério da Educação do governo Jair Bolsonaro (PSL) anunciou uma troca na presidência do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação).

Assume o cargo Rodrigo Sergio Dias, 35, ex-presidente da Funasa (Fundação Nacional de Saúde) no governo Michel Temer, primo do ex-ministro das Cidades, Alexandre Baldy (PP), e de Elsinho Mouco, marqueteiro de Temer.

A alteração era esperada há algumas semanas no âmbito das negociações para a reforma. Carlos Alberto Decotelli, que presidia o órgão, assumirá a Secretaria de Mobilidades Especializadas de Educação (Semesp) na vaga de Bernardo Goytacazes.

Leia também:
Fundaj e FNDE firmam parceria para fortalecimento da Educação no Norte e Nordeste
Plano Nacional de Educação pode ajudar a atingir metas da Agenda 2030
Novo bloqueio do Orçamento atinge R$ 348 milhões da Educação

Dias foi processado por uma suposta agressão à ex-mulher, que teria ocorrido em 2014, e chegou a ser preso. Advogado de formação, sempre negou o crime. Em 2018, a indicação de seu nome para a Anvisa causou forte reação de servidores da agência por causa dessa denúncia.

Neste ano, Dias compôs a equipe de João Doria (PSDB) no governo do estado de São Paulo. Ele foi diretor administrativo e financeiro da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), onde também ocupou a prediência do conselho de administração.

O FNDE é vinculado ao MEC e responsável pela maioria das ações e programas da educação básica do país, como transferências de recursos para obras e compras de livros didáticos. As nomeações serão publicadas no Diário Oficial da União (DOU). A reportagem tentou contato com Dias, mas não obteve contato até esta publicação.

Veja também

Amazônia já tem mais queimadas em 2020 do que em todo o ano passado
meio ambiente

Amazônia já tem mais queimadas em 2020 do que em todo o ano passado

Pandemia causa atrasos nas obras de recuperação de Mariana
Mariana

Pandemia causa atrasos nas obras de recuperação de Mariana