Atirador de Ohio era branco de 24 anos, e sua irmã está entre os mortos

Segundo a policia, Megan Betts, de 22 anos, é irmã do atirador Connor Betts

Tiroteio ocorreu na madrugada em OhioTiroteio ocorreu na madrugada em Ohio - Foto: Derek Myers/AFP

O autor do massacre que deixou nove mortos em Dayton, no estado norte-americano de Ohio, era um homem branco de 24 anos e sua irmã está entre as vítimas fatais, informou a polícia.

"O atirador era Connor Betts, um homem branco de 24 anos", disse Matt Carper, assistente do chefe de polícia de Dayton, em entrevista coletiva.

Megan Betts, "uma mulher branca de 22 anos", está entre as vítimas, acrescentou. Segundo o policial, "ela é a irmã" do autor do ataque.

O jovem, equipado com um colete a prova de balas e um fuzil, abriou fogo numa área de bares e lazer de Dayton por volta da 01H00 do domingo (horário local).

Deixou nove mortos e 27 feridos em menos de um minuto antes de ser abatido a tiros por policiais que patrulhavam a área.

Leia também:
Dois tiroteios deixam 29 mortos em poucas horas nos Estados Unidos
Polícia investiga se manifesto anti-imigração foi escrito por autor de massacre no Texas

A polícia iniciou uma investigação sobre as amizades do rapaz e suas redes sociais para tentar determinar as razões do ataque, mas se recusou a "especular" antes de saber mais.

Sua irmã é a mais jovem entre os mortos, segundo Carper, que identificou as outras oito vítimas como sendo três mulheres e cinco homens com idades entre 25 e 57 anos. Todos morreram enquanto estavam na rua.

Esta tragédia aconteceu 13 horas após outro ataque a tiros que aconteceu num centro comercial de El Paso, no Texas.

O agressor deste caso, também um homem branco, de 21 anos, matou 20 pessoas e feriu outras 26 antes de ser detido pela polícia.

Veja também

Pandemia é segunda chance para sistema educacional do Brasil, diz criador do Pisa
Educação

Pandemia é segunda chance para sistema educacional do Brasil, diz criador do Pisa

Estudo aponta que assintomáticos perdem anticorpos da Covid-19 mais rapidamente
Coronavírus

Estudo aponta que assintomáticos perdem anticorpos da Covid-19 mais rapidamente