Bebês amamentados têm menos risco de serem obesos, diz OMS

O estudo estabelece uma ligação entre a duração do aleitamento materno e sua natureza protetora contra a obesidade

BebêBebê - Foto: Pixabay

Bebês amamentados têm menos risco de se tornarem obesos do que aqueles alimentados com leite em pó, especialmente se durar pelo menos seis meses, segundo um estudo da Organização Mundial da Saúde (OMS) publicado na terça-feira (30) que abrange 16 países europeus.

"Crianças que nunca foram amamentadas têm 22% mais chances de serem obesas" em comparação com aquelas que foram amamentadas por seis meses ou mais, disse a OMS, a partir da análise de uma amostra de 30.000 crianças entre 6 e 9 anos de idade.

Leia também:
Casos de sarampo têm aumento de 300% no mundo, diz OMS
OMS vê risco de onda de febre amarela no Brasil
OMS lista as 10 principais ameaças para a saúde em 2019 

O estudo, coordenado pelo Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge (INSA), de Portugal, estabelece uma ligação entre a duração do aleitamento materno e sua natureza protetora contra a obesidade, já que crianças amamentadas por menos de 6 meses apresentam um risco 12% maior de serem obesas com 6 a 9 anos de idade do que aquelas que foram amamentados por mais tempo.

Essa diferença estatística, estabelecida na média de 16 países europeus analisados, se vê claramente em alguns lugares, mas não em todos, restabeleceram os autores.

Na Itália, 21,2% das crianças de 6 a 9 anos que nunca foram amamentadas são obesas, contra 16,8% em média para essa faixa etária.

Esses resultados devem incentivar as autoridades a "encorajar o aleitamento materno" no contexto de suas políticas de prevenção da obesidade.

Veja também

Em dia de novo recorde de casos, máscara obrigatória passa a valer em Portugal
Coronavírus

Em dia de novo recorde de casos, máscara obrigatória passa a valer em Portugal

Alemanha fecha restaurantes, setor cultural e de lazer a partir segunda-feira
Coronavírus

Alemanha fecha restaurantes, setor cultural e de lazer