Bombardeios matam 17 civis na região síria de Guta Oriental

De acordo com uma ONG, novos ataques aconteceram perto de Damasco

Bombardeio na SíriaBombardeio na Síria - Foto: BULENT KILIC / AFP

Pelo menos 17 civis foram mortos na Síria em novos ataques aéreos conduzidos pelo regime e seu aliado russo em Guta Oriental, um enclave rebelde sitiado perto de Damasco e bombardeado quase diariamente, informou uma ONG.

Os ataques mais mortíferos ocorreram em Hamuria, onde 12 civis, incluindo duas crianças, foram mortos, indicou o Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH).

Um correspondente da AFP nesta cidade viu edifícios residenciais completamente destruídos pelas incursões aéreas, as fachadas em ruínas, em ruas cobertas de escombros.

Moradores e socorristas voluntários participavam das operações de resgate.

Correndo diante de um carro em chamas, um homem carregava um menino chorando em seus braços, enquanto outro segurava o corpo aparentemente sem vida de uma criança, relatou o correspondente da AFP.

"Os aviões sírios e russos dão prosseguimento neste sábado aos intensos bombardeios em Guta Oriental, visando áreas residenciais", declarou o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahman, cuja ONG conta com uma vasta rede de fontes em todo o país em guerra.

Leia também:
Sem Estado Islâmico, cidade devastada da Síria recebe Papai Noel
Síria está completamente livre do Estado Islâmico
Ataques contra último reduto do Estado Islâmico na Síria matam 50 pessoas


Dois civis também morreram na cidade de Madira, e outros três em Erbine, de acordo com o OSDH, enquanto os bombardeios deixaram 35 feridos.

Há vários dias, o regime tenta romper o cerco a sua única base militar na região, localizada a leste de Damasco e sitiada desde 2013 pelas forças de Bashar al-Assad.

Mais de 250 militares estariam presos nessa base, situada em Harasta, na periferia de Guta. A base foi cercada no início da semana, depois de uma ofensiva do grupo extremista islâmico Fateh al-Sham e de grupos rebeldes.

Cerca de 400 mil pessoas vivem na Guta Oriental, último reduto dos insurgentes perto da capital síria, e atingida por uma grave escassez médica e de alimentos, e submetida a intensos bombardeios.

Tanto as evacuações médicas quanto a chegada de ajuda humanitária a Guta Oriental podem ser realizadas apenas com a autorização do regime sírio.

Na semana passada, 29 civis gravemente feridos em Guta Oriental foram evacuados em troca da libertação pelos rebeldes de 29 detidos, em conformidade com um acordo concluído entre o regime e os insurgentes.

O conflito na Síria começou em março de 2011 com a repressão do governo a manifestações pacíficas, e foi se convertendo em uma guerra complexa com múltiplos atores que já deixou mais de 340 mil mortos e milhões de refugiados e deslocados.

Com o apoio militar da Rússia e do Irã, Damasco conseguiu retomar o controle da maioria dos territórios conquistados pelos rebeldes.

Veja também

Saga do TikTok pode chegar ao fim com acordo envolvendo Oracle e Walmart
Aplicativo

Saga do TikTok pode chegar ao fim com acordo envolvendo Oracle e Walmart

Autoridades dos EUA interceptam envelope evenenado endereçado à Casa Branca
Mundo

Autoridades dos EUA interceptam envelope evenenado endereçado à Casa Branca