Cachorro testa positivo para coronavírus em Hong Kong

Animal, no entanto, não apresenta nenhum sintoma da enfermidade e ainda não é possível esclarecer se o vírus do cão pode infectar humanos

Imagens de arquivo mostram cão com máscara para proteger contra coronavírusImagens de arquivo mostram cão com máscara para proteger contra coronavírus - Foto: Greg Baker/AFP

As autoridades de saúde de Hong Kong, território semiautônomo da China, anunciaram nesta sexta-feira (28) que um cão de uma paciente registrou um "positivo fraco" para o Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2). O animal, no entanto, não apresenta nenhum sintoma da enfermidade e ainda não é possível esclarecer se o vírus do cão pode infectar humanos.

Por causa do resultado, cães, gatos e outros mamíferos pertencentes a pacientes confirmados com Covid-19 devem passar por 14 dias obrigatórios em quarentena. Anteriormente, os membros da família podiam cuidar dos animais de estimação dos infectados se eles não morassem com os pacientes e não estivessem sujeitos à quarentena.

Leia também:
Até 70% da população global pode contrair coronavírus, diz Harvard
Mulher pega coronavírus pela segunda vez no Japão


Mais testes de contraprova serão realizados para confirmar se o cão foi infectado pelo vírus ou se houve contaminação ambiental da boca e nariz. "A partir de agora, como precaução, pediremos aos proprietários que entreguem seu gato ou cachorro ao Departamento de Agricultura, Pescas e Conservação para quarentena", disse Chuang Shuk-kwan, chefe do ramo de doenças transmissíveis da Centro de Proteção à Saúde do território ao jornal South China Morning Post.

Veja também

Recifenses adaptam sonhos interrompidos pela pandemia; conheça histórias
Zoom

Recifenses adaptam sonhos interrompidos pela pandemia; conheça histórias

Frustração, riscos, negócios e rivalidade no caminho para a vacina mais aguardada pelo planeta
coronavírus

Frustração, negócios e rivalidade no caminho para a vacina mais aguardada pelo planeta