Débora pode voltar a SP para tratar infecção na cabeça

Noivo percebeu feridas na cabeça da jovem e enviou fotos ao médico responsável pelas cirurgias

Débora compartilha nas redes sociais seu dia a diaDébora compartilha nas redes sociais seu dia a dia - Foto: Reprodução/Instagram

A jovem Débora Dantas, 19, que passou por cirurgias para reconstrução do couro cabeludo após acidente com kart em agosto passado, descobriu durante o fim de semana uma infecção na cabeça que está afetando a sua cicatrização.

Segundo o noivo da jovem, o microempresário Eduardo Tumajan, caso o tratamento com remédio prescrito pelo médico que acompanha Débora, o cirurgião Alex Fioravanti, não solucione o problema em uma semana, eles precisarão retornar ao Hospital Especializado de Ribeirão Preto, em São Paulo, onde foram feitas as cirurgias.

Leia também:
Recife sanciona lei que regula normas de segurança em pistas de kart
'Teve negligência, ou não teria acontecido”', diz Débora sobre o acidente no kart


"Percebi duas feridas na região de cabeça e mandamos fotos [para o médico]. Ele medicou e pediu para rever com novas fotos daqui a uma semana. Se não cicatrizar precisaremos ir a São Paulo de novo", explicou Eduardo, nesta terça-feira (10), por telefone, ao Portal FolhaPE. Ainda de acordo com o noivo de Débora, ela permanece calma diante da situação. "Ela é tranquila, não fica assustada com essas coisa", acrescentou.

"Lei Débora"
Em relação à Lei Municipal nº 18.668/2019, que regula normas de segurança para pistas de kart amador no Recife e foi sancionada no último sábado (7), Eduardo afirmou que considera o texto incompleto, uma vez que não prevê seguro obrigatório para possíveis vítimas de acidentes, como Débora. "Eu acho que faltou o seguro obrigatório. Você coloca um socorrista, os materiais, mas digamos que aconteça uma fatalidade. Para onde você vai? No caso da gente, o cara sumiu. Até hoje ele não ligou para saber se Débora está bem. Como que fica a situação?", criticou.

A lei considera como exigências a disponibilidade aos clientes de itens de segurança como capacete, balaclava (touca) descartável, luvas, elástico para pilotos com cabelos compridos e macacão especial para amortecer impacto em caso de queda. Segundo o texto, todas as empresas que exploram a atividade no Recife devem colocar em local visível cartazes e avisos com informações sobre cuidados na utilização dos karts, promover a permanente manutenção dos equipamentos, designar diretor responsável e dispor de posto médico com profissional de saúde para atendimento em casos de emergência.

As empresas instaladas no Recife que não obedecerem à lei estarão sujeitas a multa de R$ 10 mil e suspensão das atividades durante 30 dias. Em caso de reincidência, haverá cassação definitiva da permissão de funcionamento. "O governo vai lá, multa e arrecada. Mas a pessoa como fica? Vai para onde depois que acontece uma acidente desse? A pessoa vai receber indenização como? A lei só pensa em multar, mas não pensou no cidadão como vai ficar", acrescentou Eduardo.

Veja também

Cristo será iluminado de rosa para lembrar prevenção ao câncer de mama
outubro rosa

Cristo será iluminado de rosa para lembrar prevenção ao câncer de mama

Hospital da Pessoa Idosa é inaugurado no Recife
saúde

Hospital da Pessoa Idosa é inaugurado no Recife