Dom Helder Câmara é declarado patrono brasileiro dos Direitos Humanos

Indicado quatro vezes ao Nobel da Paz, religioso foi arcebispo de Olinda e Recife

Dom Helder CâmaraDom Helder Câmara - Foto: Edson Leal/Ministério da Cultura

O presidente da República, Michel Temer, sancionou lei que concede a Dom Helder Câmara o título de patrono brasileiro dos direitos humanos. Dom Helder ficou conhecido, especialmente no estado de Pernambuco, como um dos ícones da igreja católica contra a ditadura militar. O texto foi publicado no Diário Oficial da União dessa quarta-feira (27).

Ele foi nomeado Arcebispo de Olinda e Recife em 1964, justamente o ano em que o regime teve início. O religioso participou de organizações e movimentos nos quais foi um “líder contra o autoritarismo e os abusos aos direitos humanos, praticado pelos militares”, como informa a Fundação Joaquim Nabuco. Dom Helder Câmara foi também um dos fundadores da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e o único brasileiro indicado quatro vezes para o Prêmio Nobel da Paz.

Leia também:
Especial: Um País marcado pela fome
Hostilidades perturbadoras contra os direitos humanos
O caráter combativo de Dom Helder Câmara


O local onde Dom Helder Câmara passou os últimos anos de vida - ele faleceu em 1999 -, nos fundos da Igreja de Nossa Senhora da Assunção das Fronteiras, no Recife, foi transformado em museu. No Memorial Dom Helder Câmara, estão expostos objetos de Dom Helder, como livros, quadros, roupas e móveis de uso pessoal do arcebispo.

Veja também

Damares defende cadeia para Robinho por condenação em caso de violência sexual
robinho

Damares defende cadeia para Robinho por condenação em caso de violência sexual

Governo de SP adota cautela e não confirma vacinação para início de dezembro
Coronavírus

Governo de SP adota cautela e não confirma vacinação para início de dezembro