EUA querem saída de Maduro e Guaidó diz que regime 'se contradiz'

Na última terça-feira (20), o ditador Nicolás Maduro admitiu a existência de contatos entre membros de seu governo e altos funcionários de Washington

O autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan GuaidóO autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó - Foto: Cristian Hernandez / AFP

Após a confirmação de que conversações vem sendo mantidas com a Venezuela, os Estados Unidos esclarecem que o diálogo apenas visa à saída de Nicolás Maduro do poder e a convocações de eleições livres no país. As declarações do Conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca foram reiteradas por Juan Guiadó, o auto-proclamado presidente Interino da Venezuela.

Na última terça-feira (20), o ditador Nicolás Maduro admitiu a existência de contatos entre membros de seu governo e altos funcionários de Washington, confirmando declarações dadas antes pelo presidente norte-americano, Donald Trump.

Leia também:
Brasil veta entrada de funcionários venezuelanos que tenham "atentado contra a democracia"
Novo apagão deixa parte da Venezuela no escuro


"Confirmo que há meses existem contatos de altos funcionários do governo dos EUA, de Trump, e do governo bolivariano que presido, sob minha autorização expressa direta, vários contatos, vários meios, para tentar regular esse conflito", disse Maduro em discurso em rede nacional.

"Se um dia o presidente Trump quiser conversar seriamente e traçar um plano para regularizar e resolver esse conflito, estaremos sempre preparados para dialogar", acrescentou o líder venezuelano.

Veja também

Trump diz que deixará Casa Branca se vitória de Biden for confirmada
eua

Trump diz que deixará Casa Branca se vitória de Biden for confirmada

Velório de Maradona na Casa Rosada tem aglomeração e tumulto
Maradona

Velório de Maradona na Casa Rosada tem aglomeração e tumulto