Fenômeno marítimo swell deslocará embarcações em Fernando de Noronha

Os donos foram orientados pela administração da ilha e terão que movê-las para baía em outro ponto da ilha

Fernando de NoronhaFernando de Noronha - Foto: Divulgação

A Marinha do Brasil e a Gestão Portuária da Ilha de Fernando de Noronha estão tomando ações para a chegada de novo Swell, fenômeno responsável por ondas gigantes e que, na ilha, deverão atingir uma altura de até 3,5 metros. Ainda nesta quinta-feira (01), a partir das 13h, vinte embarcações de pequeno porte serão transferidas do Porto de Santo Antônio para a Baía do Sueste, na ilha, a fim de diminuir os possíveis danos para moradores e turistas.

Leia também:
Restauração do Forte de Nossa Senhora dos Remédios, em Noronha, deve acabar em 2019
Administração de Fernando de Noronha orientará sobre como evitar incidentes com tubarões
Praga ameaça flora de Noronha


O alerta, válido apenas para os dois dias, foi emitido pelo Serviço Meteorológico Marinho da Marinha do Brasil. De acordo com a instituição federal, o fenômeno é normal e está sendo provocado por uma frente fria no oceano Atlântico Norte que, consequentemente, arrasta os ventos fortes para a costa brasileira. O aviso de mar grosso, como é chamado pela Marinha, atingirá o Rio Grande do Norte, Ceará, parte do Maranhão e Piauí. Em Pernambuco, apenas Fernando de Noronha.

De acordo com a previsão, o swell deverá atingir seu pico na sexta-feira (02) e as embarcações permanecerão na baía até que o mar volte a apresentar estabilidade. “Em paralelo, planejamos uma ação que terá um efeito a longo prazo, que será a reestruturação do Porto de Santo Antônio, com intervenções para garantir a segurança de todos”, pontua o Administrador Geral de Fernando de Noronha, Plínio Pimentel. A obra, orçada em R$ 4,6 milhões, e devem iniciar no primeiro semestre de 2018.

No último domingo, um swell danificou parte da estrutura do Porto de Santo Antônio. Dois dias depois, a Diretoria de Infraestrutura e Obras reinstalou o flutuante reformado. A estrutura foi fixada em local temporário até que a reforma total do porto aconteça. Até a sexta-feira, a administração de Fernando de Noronha estará em alerta e monitorará a situação.

Os barcos que forem deslocados hoje não poderão realizar atividades comerciais ou de pesca e suas bombas de porão devem estar desligadas para evitar riscos de vazamento de óleo. Além dessas ações, o Porto de Santo Antônio, que fica no nordeste da ilha, interromperá as atividades náuticas e a plataforma flutuante de embarque e desembarque de passageiros será retirada.

As ações foram decididas em reunião com o gestor e representantes do ICMBio (Instituto Chico Mendes da Biodiversidade), da Capitania dos Portos, Associação de Barcos de Turismo (Abatur), da Gestão Portuária do Distrito e de donos de embarcações. Estes assinaram termos de compromisso com o ICMBio, órgão responsável pela área do Parque Nacional Marinho (Parnamar), onde localiza-se a Baía do Sueste.

Em 2013, um Swell causou graves estragos na ilha. “Naquele ano não houve preparação, fomos todos pegos de surpresa e foi um grande desastre. Por isso mesmo, desta vez, nos surpreendemos positivamente com essa mobilização e planejamento para a possibilidade de acontecer o swell e garantirmos a proteção do nosso patrimônio a tempo”, comenta Felipe Rodrigues, dono de embarcação.

Veja também

Ministério da Saúde anuncia recursos para leitos e programa de imunização
Coronavírus

Ministério da Saúde anuncia recursos para leitos e programa de imunização

Máscara é último tabu a cair, diz Bolsonaro sobre prevenção à Covid-19
Coronavírus

Máscara é último tabu a cair, diz Bolsonaro sobre prevenção à Covid-19