Governo pede reforço do Exército caso haja greve da PM

Documento vazado foi enviado ao Governo Federal na terça-feira, mas só se tornou conhecido nesta sexta-feira

Governo do Estado lançou campanha de combate à viollência contra a mulherGoverno do Estado lançou campanha de combate à viollência contra a mulher - Foto: Divulgação

O governo de Pernambuco enviou ao Governo Federal um ofício para pedir apoio do Exército Brasileiro para garantir a segurança pública em caso de greve dos policiais militares, que realizam assembleia nesta sexta-feira (9) para discutir uma possível paralisação. O documento, de acordo com o executivo estadual, seria rotineiro e teria sido encaminhado a Michel Temer (PMDB) na terça-feira (6) - mas teria vazado. Confira o texto no fim da matéria.

Saiba mais:
Desembargador proíbe associações militares de fazer assembleia sobre greve
PMs e bombeiros suspendem paralisação mas fazem operação padrão
Policiais e bombeiros mantêm assembleia

Na quarta-feira (7), o desembargador José Fernandes Lemos, do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), determinou que associações militares "se abstenham" de realizar assembleias para tratar sobre greve. A decisão é endereçada à Associação Pernambucana dos Cabos e Soldados Policiais e Bombeiros Militares (ACS), à Associação de Praças dos Policiais e Bombeiros Militares de Pernambuco (Aspra-PE), à Associação de Bombeiros Militares de Pernambuco (ABM-PE) e à Associação dos Militares Estaduais (AME).

Mesmo sob ameaça de multas e punições civis, administrativas e penais, a assembleia marcada para as 14h desta sexta-feira (9) está mantida. Foi o que asseguraram alguns dos principais líderes da campanha salarial da categoria. De acordo com Nadelson Leite, vice-presidente da Associação de Cabos e Soldados (ACS-PE), a reunião vai acontecer e deve ter adesão ainda maior do que a manifestação anterior.

Veja também

Brasil acumula 141.406 mortes pelo novo coronavírus
Saúde

Brasil acumula 141.406 mortes pelo novo coronavírus

Trump indica Amy Coney Barrett para Suprema Corte
internacional

Trump indica Amy Coney Barrett para Suprema Corte