Governo de Pernambuco anuncia que passagens de ônibus não terão reajuste

Com a decisão, as passagens do sistema de transporte de público da RMR permanecerão R$ 3,45 no Anel A; R$ 4,70 no Anel B; e R$ 2,25 no Anel G.

Paulo Câmara, governador de PernambucoPaulo Câmara, governador de Pernambuco - Foto: Rafael Furtado/ Folha de Pernambuco

O governador Paulo Câmara anunciou nesta quinta-feira (16) que não haverá aumento nas passagens de ônibus da Região Metropolitana do Recife (RMR) neste ano. Na última segunda-feira (13), o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros no Estado de Pernambuco (Urbana-PE) propôs o aumento de  14,13%, dos preços das passagens de ônibus.  

Dessa forma, as passagens do sistema de transporte de público da RMR permanecerão no valor de R$ 3,45 no Anel A; R$ 4,70 no Anel B; e R$ 2,25 no Anel G.

Segundo o gestor, o que precisa ser discutido são as melhorias dos sistema de transporte público e não reajuste de tarifas. "Enquanto não tivermos avanços concretos no transporte público, não falaremos em aumento da tarifa", afirmou o governador.

Ele ainda garantiu o lançamento de medidas para o avanço do transporte coletivo. "Até o fim de janeiro, vamos lançar um plano de investimentos onde faremos a nossa parte com melhorias nos terminais, na segurança e na fiscalização", completou.

Leia também:
Passageiros reclamam de proposta de aumento da passagem de ônibus
Urbana-PE quer aumento de quase 15% das passagens de ônibus na RMR


Paulo Câmara destacou a necessidade de uma repactuação e a permanência de conquistas no setor. "Com metas que sejam cumpridas pelos empresários. O governo fará a sua parte, sem abrir mão de direitos adquiridos pela população. O Passe Livre - que garantimos aos estudantes - será mantido, o Transporte Complementar Gratuito também continuará valendo e manteremos o subsídio ao diesel, porque é decisivo para que o sistema não entre em colapso", pontuou.

O governador também ressaltou a decisão do Estado em relação ao setor, que vai no contrafluxo da União . "Não vamos agir como o Governo Federal, que fez vários reajustes na passagem do Metrô e nenhuma contrapartida na melhoria do serviço", registrou.  

A afirmação se dá porque no intervalo inferior a um ano, o valor da tarifa do metrô -implementado pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) - passou de R$ 1,60 para R$ 3,70. E um novo aumento, de R$ 4, está previsto para março.

A última vez que o governador decidiu manter os valores das passagens foi no ano de 2018.

O Urbana-PE, até o momento, não se pronunciou. De acordo com a assessoria, o sindicato deve se manifestar nesta sexta-feira (17).

Relembre o caso:
A proposta feita pelo Urbana-PE, na última segunda-feira, se baseava em uma tabela de custos e de receitas previstas para o ano de 2020. Os valores das passagens ficariam de R$ 3,90 na tarifa A; a tarifa B por R$ 5,35; e tarifa G para R$ 2,55.

Segundo o sindicato, o motivo para o aumento das passagens seria a queda na demanda de passageiros, que teve redução de 5,42% em comparação ao projetado na planilha de recomposição tarifária de 2019. "Essa queda supera o patamar de 30% levando em consideração os últimos seis anos", disse a Urbana, em nota, quando propôs o aumento. 

Uma definição do reajuste estava para ser tratada ainda neste mês de janeiro, em uma reunião do Conselho Superior de Transporte Metropolitano (CSTM), composto por membros do Urbana-PE, do Grande Recife Consórcio, da Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU), de secretarias do Governo do Estado, da Prefeitura do Recife e de Olinda e representantes da sociedade civil, entre outros.

Veja também

Classes mais altas têm maior potencial de contaminação em repique de casos, diz infectologista
Coronavírus

Classes mais altas têm maior potencial de contaminação em repique de casos, diz infectologista

Protestos contra violência policial deixam 56 mortos e fecham escolas na Nigéria
internacional

Protestos contra violência policial deixam 56 mortos e fecham escolas na Nigéria