Iemanjá abençoa o Siri na Lata

Tradicional baile tem como principais atrações Almir Rouche e Daniela Mercury

Baile do Siri na Lata tem Daniela MercuryBaile do Siri na Lata tem Daniela Mercury - Foto: Celia Santos/ Divulgação

O Siri na Lata chega a sua 42ª edição banhado pelas águas dos mares. É que esse ano o baile pretende juntar a rainha dos mares, Iemanjá, com o que há de mais doce no frevo que antecipa o Carnaval. Os portões, que serão abertos nesta sexta-feira, às 21h30, no Clube Português, trazem para o palco o tradicional e a novidade: o pernambucano Almir Rouche e a baiana Daniela Mercury vêm, juntos, animar a folia.

Comandando o baile há 23 anos, Almir admite: é sempre como subir ao palco pela primeira vez. “É uma relação muito duradoura, boa e estável em um baile muito bonito”, derrete-se. “Esse ano ele vem bem especial, trazendo Daniela Mercury, uma cantora extraordinária. São shows muito para cima; fico feliz e lisonjeado de ser sempre lembrado para fazer a festa”, diz o cantor. É a primeira vez que o baile traz uma atração nacional. Em vídeo de divulgação, Daniela prometeu muito frevo, como é de praxe, além dos seus sucessos e homenagem a Iemanjá com a música "Canto ao Pescador".

Almir tinha 16 anos quando ingressou no ramo da música. De lá para cá - hoje ele coleciona três décadas de carreira - aprendeu a manter as expectativas para o Carnaval sempre altas: "Esse ano está expecional. Apesar de o Carnaval estar em cima, desde dezembro venho tocando sem parar, fazendo cerca de sete shows por semana. E quando vai chegando mais perto da festa, chego a tocar todos os dias”, diz, sem um pingo de arrependimento na voz. É realmente um filho da festa de Momo, tendo sido um dos homenageados do Carnaval do Recife do ano passado. “Não posso reclamar. É ‘não para, não para, não para não’. Minha cantiga é sempre essa”, graceja.

Apesar de trazer na programação uma atração nacional, os pernambucanos continuam sendo maioria no palco do Baile do Siri na Lata. O Samba do Preto Velho se junta a Almir para levar frevo madrugada a dentro. "Tenho certeza que vai ser o ‘pipoco de tambera’, como diz a expressão”, ri o músico.

O repertório do cantor vem com novidades: "Trago músicas autorais novas como 'A máscara caiu', de Jota Michilis, e outra de Márcia Sampaio, em homenagem ao Galo da Madrugada", adianta. "É uma música muito para cima, e a troca de energia tem emitido um resultado muito positivo", avalia. O músico, contudo, não esquece do seu queridinho: os frevos tradicionais. "Eles não podem deixar de ser tocados porque são eternos, não são músicas que você tem que fazer todo mês", glorifica.

Serviço
Baile do Siri na Lata
Sexta-feira, às 21h30
Av Conselheiro Rosa e Silva, 172
Ingressos: A partir de R$ 60 (meia-entrada)
Informações: (81) 3427-1351

Leia também
Ensaio faz campanha contra o assédio no Carnaval
Prepare o corpo para o Carnaval
Carnaval: Arena no Recife Antigo e day use em Olinda

 

 

Veja também

Vírus foi achado em poucas embalagens de frangos brasileiros e não é motivo de alarme, diz OMS
Coronavírus

Vírus foi achado em poucas embalagens de frangos brasileiros e não é motivo de alarme, diz OMS

Inscrições para o Sistema Seriado de Avaliação da UPE começam na próxima segunda
Educação

Inscrições para o Sistema Seriado de Avaliação da UPE começam na próxima segunda