Irã garante que vai 'punir' responsáveis pela queda do avião ucraniano

O governo da República islâmica acabou por reconhecer que o avião das linhas aéreas da Ucrânia, com 176 pessoas a bordo, foi abatido "por erro" por um míssil balístico iraniano

Hassan Rouhani, presidente do IrãHassan Rouhani, presidente do Irã - Foto: Televisão Nacional Iraniana

O presidente do Irã, Hassan Rouhani, disse nesta terça-feira (14) que o país vai "punir" todos os responsáveis pela queda do avião civil ucraniano, atingido por um míssil nos arredores de Teerã no último dia 8.

"Para o nosso povo é muito importante que qualquer responsável por um ato de negligência seja levado à Justiça", disse Rohani em discurso transmitido pela televisão em Teerã. "Todos aqueles que têm de ser punidos vão ser", acrescentou o presidente iraniano.

Leia também:
Irã nega ter tentado 'acobertar' caso do avião derrubado
Chefe da Guarda Revolucionária iraniana se explica no Parlamento sobre avião abatido
Ucrânia pede transferência rápida dos corpos de avião derrubado pelo Irã


De acordo com a Associated Press, as autoridades iranianas fizeram detenções, supostamente relacionadas à queda do avião. O governo da República islâmica acabou por reconhecer que o avião das linhas aéreas da Ucrânia, com 176 pessoas a bordo, foi abatido "por erro" por um míssil balístico iraniano, na quarta-feira passada (8).

O anúncio da responsabilidade das Forças Armadas do Irã no acidente causou choque e uma onda de indignação em Teerã. No sábado à noite, uma cerimônia em homenagem às vítimas transformou-se numa manifestação contra as autoridades, com gritos de "morte aos mentirosos", antes de ser dispersa pela polícia. No domingo à noite, houve outras manifestações.

Segundo a agência Associated Press, as forças de segurança iranianas dispararam balas reais e gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes. Organizações não governamentais de defesa dos direitos humanos já pediram ao Irã que permita que as pessoas protestem pacificamente, conforme prevê a Constituição.

Veja também

Nova Zelândia ordena confinamento de asilos de idosos
Coronavírus

Nova Zelândia ordena confinamento de asilos de idosos

Família de bombeiros desaparecidos de Beirute aguarda apenas os 'restos mortais'
Líbano

Família de bombeiros desaparecidos de Beirute aguarda apenas os 'restos mortais'