Justiça determina que PRF volte a usar radares móveis em rodovias

O uso de medidores de velocidade móveis e portáteis está suspenso desde agosto

RadaresRadares - Foto: Divulgação/Agência Brasil

A Justiça Federal em Brasília decidiu nesta quarta-feira (11) revogar a determinação de que a Polícia Rodoviária Federal (PRF) suspenda a utilização de radares móveis nas rodovias do país. O uso de medidores de velocidade móveis e portáteis está suspenso desde agosto.

Na decisão, o juiz Marcelo Gentil Monteiro, da 1ª Vara Federal Cível, atendeu a um pedido liminar feito pelo Ministério Público Federal (MPF) e entendeu que a falta dos radares pode causar danos à sociedade.

"A urgência é patente, ante o risco de aumento do número de acidentes e mortes no trânsito em decorrência da deliberada não utilização de instrumentos escolhidos, pelos órgãos técnicos envolvidos e de acordo com as regras do Sistema Nacional de Trânsito, como necessários à fiscalização viária", decidiu o juiz.

Leia também:
Bolsonaro manda suspender uso de radares nas rodovias federais
PRF determina suspensão e recolhimento de radares móveis


Em agosto, a determinação foi cumprida pela PRF após a publicação de um despacho do presidente Jair Bolsonaro. Na ocasião, foram revogados atos administrativos sobre a atividade de fiscalização eletrônica de velocidade em rodovias e estradas federais.

Cabe recurso ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), sediado em Brasília.

Veja também

Dez capitais apresentam sinais de crescimento da Covid-19, diz Fiocruz
Coronavírus

Dez capitais apresentam sinais de crescimento da Covid-19, diz Fiocruz

Secom lança campanha que fala em interesses 'nem sempre claros sobre preservação da Amazônia'
governo

Secom lança campanha que fala em interesses 'nem sempre claros sobre preservação da Amazônia'