Latam é autuada por proibir embarque de passageira com autismo

Uli Firmino foi impedida de viajar após pedir para realizar uma troca de assentos devido à sua sensibilidade auditiva

Aeronave LatamAeronave Latam - Foto: Latam/Divulgação

A empresa aérea Latam foi autuada pelo Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon PE) nesta quarta-feira (11), por proibir o embarque de uma mulher diagnosticada com transtorno do espectro autista em um voo do Recife para Fortaleza, capital do Ceará.

Uli Firmino Ary, 26, auxiliar de veterinária e violinista do Conservatório Pernambucano de Música, iria embarcar para realizar uma cirurgia na gengiva quando foi impedida pela companhia. Ela não pôde viajar mesmo apresentando o laudo médico que comprova a passageira como apta a desenvolver todas as suas atividades sozinhas.

O Procon soube do caso através da empresa Eleve Gestão de Negócios, especialista em atuar com inclusão. Segundo Uli, ao realizar o check-in, pediu para trocar de assento já que sua cadeira ficava próxima da hélice e ela possui sensibilidade auditiva. 

Leia também:
Gol e Latam participam de leilão e adquirem ativos da Avianca
Azul, MAP e Passaredo ficam com slots da Avianca em Congonhas
Mais uma empresa aérea low cost pede autorização para voar no Brasil

A violinista ficou sabendo que não poderia embarcar após explicar o motivo da troca de assentos. Ela ainda teria que esperar até 72 horas, para a Latam analisar o laudo.

“Assim que fomos procurados pela Eleve, enviamos uma equipe de fiscais para o aeroporto. A Latam foi autuada e multada por não apresentar justificativa legal para que ela viajasse, descumprindo o laudo médico da consumidora. No momento também queremos que ela fosse realocada no voo mais próximo de acordo com suas necessidades”, explicou Danyelle Sena, gerente de fiscalização do Procon.

A advogada da empresa Eleve, Taisa Guedes, informou que também irá entrar judicialmente contra a Latam por danos materiais, já que Uli perdeu a cirurgia que já estava paga, danos morais, e também aberto um Boletim de Ocorrência por discriminação.

A viagem de Uli foi adiada para esta quinta-feira (12), às 11h55.

Em nota a Latam afirma que não houve discriminação no atendimento à passageira. "A companhia se sensibiliza com o ocorrido e informa que se manteve mobilizada para o embarque da passageira. A empresa ainda reforça que seus procedimentos estão de acordo com as regras vigentes do setor e têm como objetivo resguardar o bem-estar e a saúde do passageiro a bordo", diz a nota.  

Segundo a empresa, "a documentação necessária para o transporte de passageiros com necessidades especiais, chamada Medif, deve ser enviada para o e-mail [email protected] com no mínimo 10 dias e no máximo 48 horas antes do embarque para ser avaliada por um grupo de médicos especializados em medicina aeroespacial."

O endereço pode ser encontrado no site da Latam. Para ter a autorização para a viagem, o cliente recebe uma confirmação por e-mail da empresa em no máximo 48 horas após o envio do documento. 

Veja também

Histórico do papa sugere cautela ao pintá-lo como símbolo da defesa dos LGBTI
Vaticano

Histórico do papa sugere cautela ao pintá-lo como símbolo da defesa dos LGBTI

Traficantes de fósseis encontrados no Ceará são alvo de operação da PF
Investigação

Traficantes de fósseis encontrados no Ceará são alvo de operação da PF