Livraria e Editora Des Femmes

Saiba um pouco mais sobre o feminismo francês e sua relação com o Brasil.

Livraria des femmesLivraria des femmes - Foto: @desfemmes

Quando, há alguns dias, publicamos a coluna Livrarias Feministas,  Izabella Borges entrou em contato falando sobre uma livraria pioneira, aberta em Paris em 1974. Izabela é mestra e doutora em literaturas, línguas e culturas lusófonas pela Universidade Sorbonne Nouvelle, além de tradutora, ensaísta e professora universitária. É dela que vem a contribuição a Mulheres em Movimento desta semana. E dela também os votos de final de ano desta coluna para você. Leia, comente, compartilhe!

Carla Gisele Batista

Des femmes – Antoinette Fouque
Izabella Borges

Daqui a poucos dias diremos adeus ao ano que se foi. E que ano! Para muitas e muitos de nós que, de longe ou de perto, tiveram de travar batalhas em defesa dos direitos humanos e, mais particularmente, em defesa do direito das mulheres, o ano de 2019 foi um ano sem trégua. Entre as águas turvas e bravias do liberalismo, as areias movediças do neoconservadorismo, e as audaciosas marés de movimentos emancipadores como #MeToo, a travessia do ano de 2019 levou muitas e muitos de nós a buscar abrigo, e conhecimento, em ilhas benfazejas, nas quais pudéssemos atracar nossas amarras intelectuais e, ao mesmo tempo, continuar avançando. Uma dessas ilhas benfazejas se encontra em Paris, em pleno bairro latino, atrás de um antigo portão de madeira que se abre para um belíssimo jardim florido. Essa ilha de saberes, acolhedora, aberta e solidária, leva o nome de sua principal ocupante: Antoinette Fouque (1936-2014).

Psicanalista, ensaísta, filosofa e cientista política, Antoinette Fouque é uma das fundadoras do Movimento de Liberação das Mulheres (MLF - 1968), movimento que esteve à frente de conquistas como a descriminalização do aborto e a paridade entre homens e mulheres. Pioneira do movimento que antecipou debates em defesa da democracia no mundo globalizado e da independência econômica, política, sexual e simbólica das mulheres, Antoinette Fouque, teceu, ao longo do seu trabalho, um novo contexto de ação em prol dos direitos das mulheres, aliando trabalho teórico, militancia, ações politicas e criação.

Na esteira das ações do MLF, Antoinette Fouque funda, em 1973, a primeira editora europeia exclusivamente dedicada à produção literária e teórica de mulheres, as Éditions des femmes. Em 1974, junto ao local da editora, Fouque abre a livraria des femmes que, desde então, trabalha quase exclusivamente com obras produzidas por mulheres. Foi também em 1974, em plena ditadura militar, que Fouque esteve no Brasil pela primeira vez. Nessa viagem, ela participa de encontros com intelectuais e militantes feministas, e decide editar em francês escritoras e intelectuais brasileiras. Em 1989, Fouque funda a Aliança das Mulheres pela Democracia. Criada simbolicamente no ano do bicentenário da revolução francesa, a Aliança das Mulheres pela Democracia promove e participa de ações pela inserção da mulher no estado democrático de direito e pelo reconhecimento da existência das diferenças entre os dois sexos, pelo fato da mulher ser, nas suas palavras, “produtora do vivo”. De 1994 a 1999, Fouque dá sequência ao seu trabalho atuando como deputada no Parlamento europeu e membro na Comissão dos Direitos da Mulher.

Apesar de ter percorrido os sete mares, aliando-se a movimentos pela liberação, e pela libertação, de mulheres mundo afora, Antoinette Fouque trazia em si um apreço especial pelo Brasil, que ela dizia ser sua segunda pátria. Desde a criação da editora des femmes, inúmeras autoras brasileiras vêm sendo traduzidas e publicadas em francês, dentre as quais Clarice Lispector  , Nélida Piñón, Rose Marie Muraro, Ana Maria Machado e Conceição Evaristo.

Após o seu falecimento em 2014, a editora des femmes, que deu sequência ao excelente trabalho editorial de sua fundadora e continua publicando e promovendo obras de mulheres do mundo inteiro, passou a se chamar Éditions des femmes – Antoinette Fouque. Homenagem mais que merecida à pensadora e militante do movimento das mulheres que, para além de seus trabalhos e ações, deixou uma obra teórica de grande porte, dando origem aos estudos de féminologie / , nos quais Fouque desenvolve conceitos transgressores como “a inveja do útero” ou ainda a “libido creandi".Vale igualmente destacar o trabalho de publicação do Dictionnaire Universel des Créatrices (Dicionário Universal de Mulheres Criadoras)), lançado em 2010 em versão impressa e, em 2018, em versão online. Esse inesgotável repertório de saberes contem centenas de verbetes sobre o trabalho de mulheres criadoras do mundo inteiro. Nele, encontramos mais de cem verbetes sobre criadoras brasileiras, dentre as quais Cora Coralina, Clarice Lispector, Marianne Peretti, Marli Bucão, Ruth Escobar, Conceição Evaristo e Marielle Franco. Sim, Marielle presente, hoje e sempre!

Livraria des femmes

Foto: @desfemmes


Atualmente a editora é dirigida por Christine Villeneuve, que copreside igualmente a Aliança de Mulheres pela democracia. Além da editora e da livraria dedicadas à produção literária e teórica de mulheres, des femmes contam igualmente em seus locais na rua Jacob com um espaço-galeria, l’Espace des femmes, que acolhe e expõe artistas plásticas do mundo inteiro.

E lá se vai o ano velho, duro ano... Mas o vindouro não tardará a chegar. Oxalá que ele chegue repleto de novas ilhas de saberes, de alegrias, de uma multitude de oásis de solidariedade e de ações positivas em favor da democracia e, por conseguinte, da liberação das mulheres. Que o ano novo seja também propicio para jovens grupos de militância, para novas amizades, para a leitura e a para a criação. E, sobretudo que ele traga força e coragem, a nós todas e todos e, também, ao extraordinário trabalho das mulheres.

Feliz ano novo a todas e todos e longa vida ao trabalho de Antoinette Fouque!

*Carla Gisele Batista é historiadora, pesquisadora, educadora popular. Mestra em Estudos Interdisciplinares Sobre Mulheres, Gênero e Feminismo pela UFBA. Militante feminista, integrou as coordenações do Fórum de Mulheres de Pernambuco, da Articulação de Mulheres Brasileiras e da Articulación Feminista Marcosur. Publicou em 2019 o livro: Ação Feminista em Defesa da Legalização do Aborto: Movimento e Instituição, pela Annablume Editora.


*A Folha de Pernambuco não se responsabiliza pelo conteúdo das colunas

Veja também

Polícia encontra mais 16 cobras e suspeita de jovem picado por naja no DF
Animal Silvestre

Polícia encontra mais 16 cobras e suspeita de jovem picado por naja no DF

Inglaterra autoriza espetáculos ao ar livre e reabertura de academias
Reabertura

Inglaterra autoriza espetáculos ao ar livre e reabertura de academias