Mulher de 53 anos é primeira vítima fatal de dengue este ano em Pernambuco

Dengue já matou 77 pessoas este ano no Brasil; em Pernambuco, vítima fatal é mulher de 53 anos com doença mental e residente em Paulista

Mosquito Aedes aegyptyMosquito Aedes aegypty - Fotos Públicas

Uma mulher de 53 anos, com doença mental e moradora do bairro de Jardim Paulista, em Paulista, na Região Metropolitana do Recife (RMR), foi a primeira pernambucana com confirmação de morte por arbovirose este ano. O diagnóstico foi de dengue. Ainda há 35 óbitos sendo investigados em todo o Estado. No total, 42 casos de morte por suspeita de dengue, zika e chikungunya foram notificados este ano, mas seis já foram descartados. A notificação do caso de Paulista como suspeito ocorreu há cerca de cinco meses. Boletim epidemiológico divulgado nesta sexta-feira (13) pelo Ministério da Saúde aponta que 77 pessoas morreram este ano no país após contraírem a dengue. Pelo menos outros 181 óbitos estão sendo investigados pela pasta como suspeitos.

Segundo o superintendente de Vigilância em Saúde de Paulista, Fábio Diogo, a mulher teve sintomas de febre e manchas vermelhas pelo corpo no dia 15 de fevereiro, buscou socorro médico no dia 20 do mesmo mês e faleceu no dia seguinte (21), no Hospital Miguel Arraes (HMA). Fábio Diogo informou que, além do quadro clínico compatível, a paciente teve confirmação laboratorial para o vírus da dengue.

Fábio Diogo contou que o município ainda apura o óbito de mais duas pessoas que podem ter falecido em decorrência de infecções por arbovírus. A coordenadora do Programa de Controle das Arboviroses da Secretaria Estadual de Saúde (SES), Claudenice Pontes, comentou que houve uma ampliação no rito de investigação das mortes suspeitas e, por isso, o processo de confirmação dos óbitos está mais demorado.

“A gente viu uma necessidade de entender todo o percurso do paciente. Então, ampliamos a investigação. Hoje a gente não só investiga onde ocorreu o óbito, mas vai investigar desde o início dos sintomas”, justificou. Ela explicou que essa triagem inicial é de responsabilidade dos municípios e só depois é aberta a discussão do caso com participação de infectologistas. “Está demorando mais um pouco porque estamos detalhando mais”, reforçou. No ano passado, no mesmo período analisado (janeiro até 7 de julho), houve a comunicação de 72 mortes suspeitas. Seis foram confirmadas, sendo cinco de dengue e uma de chikungunya.

Pernambuco
Até o momento, Pernambuco tem 13.006 notificações de dengue, sendo 2.786 confirmações. A doença registra aumento de quadros suspeitos na ordem de 17,3% na comparação com 2017. Sobre chikungunya são 1.647notificações e 235 confirmações. Em relação ao zika, os números são de 486 notificações e 27 confirmações.

Um dos fatores que preocupa em relação a uma possível escalada das arboviroses ainda este ano é o alto número de cidades com elevada densidade de mosquitos. Segundo o Índice de Infestação Predial do 3º ciclo do Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), 84 municípios estão em situação de risco de surto e 82 em situação de alerta. “São 166 cidades com risco de transmissão, sendo 84 com perigo de surto. Isso, realmente é preocupante. Temos os três vírus circulando, temos casos confirmados e temos mosquito. Então, o risco de epidemia existe”, alertou. Um novo ciclo do LIRAa será iniciado pelas cidades este mês.

Grávidas

0Até o último dia 7, 223 gestantes que apresentaram sinais suspeitos de arboviroses foram notificadas pelas unidades de saúde à SES. Destas, 44 tiveram resultados laboratoriais para dengue como infecção recente. Para chikungunya, 14 grávidas positivaram. Em relação aos casos de zika, já são oito exames positivos.

Veja também

Com um reforço de 100 veículos, Grande Recife amplia a frota de ônibus
Transporte

Com um reforço de 100 veículos, Grande Recife amplia a frota de ônibus

EUA poderá ter imunidade coletiva à Covid-19 até o meio do ano, diz Biden
Coronavírus

EUA poderá ter imunidade coletiva à Covid-19 até o meio do ano, diz Biden