Mulher é o primeiro caso suspeito do novo coronavírus em Pernambuco

A paciente estava de férias na Itália. Segundo a Azul Linhas Aéreas, pousou na cidade vinda do voo 6954, que partiu de São Paulo (Guarulhos) para o Recife na tarde desta terça-feira

Técnicos do Samu Recife vestidos com EPIs durante transferência da paciente com suspeita de Covid-19Técnicos do Samu Recife vestidos com EPIs durante transferência da paciente com suspeita de Covid-19 - Foto: Cortesia

Uma mulher foi internada no Hospital Universitário Oswaldo Cruz (Huoc), no bairro de Santo Amaro, área central do Recife, com sintomas similares aos de Covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus. A profissional liberal, de 51 anos, estava de férias na Itália. Segundo a Azul Linhas Aéreas, pousou na cidade vinda do voo 6954, que partiu do Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, para o Recife na tarde desta terça-feira (25). 

A paciente precisa ficar hospitalizada por ter vindo uma região na qual o vírus se expandiu. Segundo o chefe de Infectologia do Huoc, o médico Demétrius Montenegro, o importante do caso foi a proveniência da paciente. Desde que saiu do avião, a mulher, que foi direto da pista do Aeroporto do Recife para o Hospital Oswaldo Cruz, se mantém no isolamento, mesmo no setor de infectologia.

Leia também:
Brasil confirma primeiro caso do novo coronavírus
Turistas são confinados em hotel, na Espanha, por suspeita de coronavírus

De acordo com nota emitida pela Azul Linhas Aéreas, o desembarque ocorreu sem intercorrências e os demais clientes e tripulantes da companhia foram avaliados e liberados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O diretor do Centro de Informações de Vigilância em Saúde Estratégicas de Pernambuco (Cievs-PE), George Dimech, relatou qual será o procedimento caso seja confirmada a doença no caso da paciente recém-chegada da Itália. "A partir deles [os passageiros] não existe possibilidade de transmissão, porque a doença demanda muitos dias para que qualquer pessoa infectada seja capaz de transmitir o vírus. Antes disso o resultado dos exames laboratoriais vai sair. A partir do descarte ou da confirmação do caso, as medidas cabíveis serão tomadas", afirmou Dimech.

"No momento, não existe risco. Quando sair o resultado dos exames da paciente, o procedimento correto será tomado. Todos os passageiros foram registrados pela Anvisa e temos os contatos de todos eles. Esses contatos vão ser passados para os municípios. Em caso de confirmação, os passageiros serão contatados pelas prefeituras e ficarão em observação", completou. O prazo do resultado do exame gira em torno de 72 horas. "Vamos receber os resultados antes de os passageiros terem capacidade de transmissão", garante Dimech.

O médico afirmou que, durante as 72 horas, o vírus está em estado de incubação e não oferece risco de retransmissibilidade.

"Em caso de qualquer sintoma, eles [os passageiros] devem procurar uma unidade de saúde usando máscaras. Antes disso, estaremos entrando em contato com eles." De acordo com Dimech, as pessoas que estavam no voo devem evitar entrar em aglomerações e usar sempre o equipamento de proteção. "Com as máscaras a transmissibilidade do vírus diminuiu muito. compartilhar objetos pessoais, entre outras coisas que podem facilitar a propagação do vírus".

A aeronave foi submetida a um procedimento de limpeza com agentes bactericidas e liberada para demais programações. A Azul está colaborando com as organizações de saúde do Brasil na investigação do caso e a cliente será acompanhada pela Anvisa e pela unidade de saúde onde está sendo atendida.

Segundo o secretário estadual de saúde André Longo, "o Plano de contingência que foi montado pelo estado de Pernambuco funcionou". "Com a ampliação da definição de casos suspeitos para os países europeus, é possível que haja um aumento do número de casos suspeitos. Precisamos estar vigilantes para dar respostas em tempo hábil para que não tenhamos uma expansão do vírus em todo território nacional", disse o secretário. 

Leia a íntegra da nota oficial emitida pela Secretaria de Saúde de Pernambuco:
A Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco (SES-PE) informa que foi notificada na tarde desta terça-feira (25.02), através do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância à Saúde (Cievs), de um caso suspeito no Estado para o novo coronavírus.

Trata-se de uma mulher pernambucana, de 51 anos, que desembarcou no Recife na tarde de hoje em voo doméstico proveniente da Itália (país europeu com casos confirmados do vírus) com conexão em São Paulo. A paciente foi atendida, ainda no Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes, por equipes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para primeiro atendimento.

Seguindo o protocolo previamente estabelecido pela SES-PE, a mulher foi levada em ambulância do Samu Recife para o Hospital Universitário Oswaldo Cruz (Huoc), uma das referências estaduais para atendimento de casos suspeitos do coronavírus. A paciente, que está internada no isolamento da unidade com sintomas leves, já foi avaliada pela equipe médica do hospital e segue sendo acompanhada no serviço. Já foram coletadas amostras para realização de exames no Lacen-PE e no Instituto de Evandro Chagas (IEC), no Pará. Novas informações sobre estado de saúde da paciente devem ser divulgadas em breve.

É importante salientar que, em paralelo ao rápido acolhimento da paciente no Huoc, a SES-PE já deflagrou as primeiras medidas de vigilância contra a doença. A Secretaria já recebeu a lista de passageiros e tripulantes que estavam no mesmo voo e iniciará, em parceria com os municípios, a contactá-los para recomendações sobre o caso. Ao aterrissarem no Recife, os demais passageiros receberam as primeiras orientações da própria Anvisa. É recomendado, neste primeiro momento, que os passageiros adotem medidas de higiene pessoal e etiqueta respiratória. Ao notar algum sintoma suspeito, a pessoa deve procurar imediatamente o serviço de saúde mais próximo.

Vale lembrar também que a SES-PE montou, desde o início do mês, esquema para preparar a rede pública de saúde para possíveis casos suspeitos do novo coronavírus.

Além de enviar diversas notas técnicas sobre o assunto e repassar os boletins do Ministério da Saúde para os serviços da rede, capacitou os profissionais de saúde para que seja realizado o manejo clínico correto do paciente. Além do Huoc, o Hospital Correia Picanço (HCP) e o Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip) são as referências estaduais paras possíveis casos suspeitos do novo coronavírus.

Veja também

Grupo de Lima reitera apoio a Guaidó e eleições na Venezuela
internacional

Grupo de Lima reitera apoio a Guaidó e eleições na Venezuela

Fiocruz: há melhora na disponibilidade de leitos de UTI para Covid-19
Coronavírus

Fiocruz: há melhora na disponibilidade de leitos de UTI para Covid-19