Núcleo de Prevenção Social à Violência é reativado no Ibura

Reinauguração visa promover ações importantes para o desenvolvimento de programas educacionais, preventivos e sociais

Inauguração do Nuprev do Ibura.Inauguração do Nuprev do Ibura. - Foto: Arthur Mota/Folha de PE

De janeiro a outubro de 2017, o índice de Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLI) se totaliza em 670 no Recife. Visando mudar este quadro de criminalidade em alguns bairros da capital, a Secretaria de Defesa Social reativou os serviços do Núcleo de Prevenção Social à Violência (Nuprev), na avenida Dom Helder Câmara, no bairro do Ibura, na Zona Sul da Capital, na manhã desta terça-feira (21).

Segundo o Gerente Geral de Articulação Integração Institucional e Comunitária da SDS, Cláudio Borba Filho, o Nuprev volta a atuar para promover ações importantes para o desenvolvimento de programas educacionais, preventivos e sociais. Desde 2012, o equipamento oferecia apenas a emissão de carteira de identidade. Além do Recife, existe mais duas unidades no Sertão e em Garanhuns.

O Gerente de Prevenção e Articulação Comunitária da Secretaria de Defesa Social (SDS), João Evangelista, explicou que a partir de janeiro por meio de uma parceria que está sendo firmada com a faculdade Universo, programará serviços jurídicos a população, e ainda haverá um ponto de troca de brinquedos que induzam à violência.

“A partir de hoje nós estamos reativando essa grande ação de serviços. E também estamos celebrando o convênio com a universo que permitirá que funcione vários serviços para a comunidade. Os estudantes farão estágios de Nutrição, direito, fisioterapia, entre outros”. O gestor descreveu que o núcleo trabalha a descentralização dos programas e projetos de prevenção social desenvolvidas pela SDS.

Veja também

Aulas presenciais na rede municipal de Ipojuca voltarão apenas em 2021
Educação

Aulas presenciais na rede municipal de Ipojuca voltarão apenas em 2021

Covid-19 gera avalanche de financiamentos bilionários para vacinas
Mundo

Covid-19 gera avalanche de financiamentos bilionários para vacinas