Ocupação de terreno acaba em confusão no Recife

Segundo a Polícia Militar, os moradores não aceitaram a ocupação e derrubaram os barracos construídos no local, em Afogados

Rua Vinte e Um de Abril, no bairro de AfogadosRua Vinte e Um de Abril, no bairro de Afogados - Foto: Reprodução/Google Street View

Na noite desta terça-feira (8), a Polícia Militar foi acionada para uma ocorrência de interdição da rua Vinte e Um de Abril, no bairro de Afogados, Zona Oeste do Recife. Equipes do 12º Batalhão (BPM) foram deslocadas ao local, quando constatou que militantes haviam invadido uma área usada como campo de futebol pela comunidade, área próxima à estação Ipiranga do metrô.

Segundo a Polícia Militar, os moradores não aceitaram a ocupação e derrubaram os barracos construídos no local. "A resposta dos militantes se deu com a interdição da via, inclusive com fogo em materiais diversos, mas com a chegada das viaturas da polícia e do Corpo de Bombeiros o problema foi sanado de imediato", disse a PM em nota. A corporação reforça ainda que, ao contrário do que foi divulgado em redes sociais, não houve troca de tiros na ocorrência, com tudo sendo resolvido no campo da negociação.

Leia também:
Suspeito de matar motorista de aplicativo em Palmares é preso no Litoral Sul
Substância causa intoxicação em funcionários e interdita prédio da Justiça Federal no Recife

Em nota enviada ao Portal FolhaPE, o Movimento de Lutas nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB) esclareceu que não houve ocupação do MST no local. "Foi iniciada a obra para construção de 336 apartamentos do Conjunto Habitacional Rui Frazão. Além dos apartamentos, terá um campo de Futebol, Playground, Centro Comunitário, Pista de Cooper e Creche. No total, serão beneficiadas mais de mil e duzentas pessoas", diz o texto.

Ainda segundo o MLB, o terreno é de propriedade da Superintendência do Patrimônio da União (SPU) e foi repassado através da Chamada Pública publicada no Diário Oficial da União. "O terreno está devidamente registrado no Registro de Imóveis Comarca de Recife. O empreendimento é contratado pelo Governo Federal através do antigo Ministério das Cidades e Caixa Econômica Federal pelo Programa Minha Casa, Minha Vida Entidades para famílias da faixa 1, com o valor da operação de financiamento de R$ 27.552.000,00", acrescenta a nota.

Veja também

EUA deixa formalmente a Organização Mundial de Saúde, diz senador americano
Saída

EUA deixa formalmente a Organização Mundial de Saúde, diz senador americano

Universidades e institutos federais do Rio planejam retorno das aulas
educação

Universidades e institutos federais do Rio planejam retorno das aulas