Papa Francisco proíbe venda de cigarros no Vaticano a partir de 2018

"A razão é muito simples: a Santa Sé não pode contribuir para uma atividade que afeta claramente a saúde das pessoas", diz comunicado

Papa FranciscoPapa Francisco - Foto: Filippo Monteforte/AFP

O papa Francisco ordenou nesta quinta-feira (9) a proibição da venda de cigarros na Cidade do Vaticano a partir de 2018 devido aos problemas de saúde que causam. "A razão é muito simples: a Santa Sé não pode contribuir para uma atividade que afeta claramente a saúde das pessoas", esclareceu em um comunicado o porta-voz do Vaticano, Greg Burke.

"Apesar de que a venda de cigarros a funcionários e aposentados a um preço reduzido constitui uma boa de renda para a Santa Sé, nenhum benefício é legítimo se custa a vida das pessoas", acrescenta a nota.

Leia também:
Papa admite cochilar enquanto reza
Papa supera os 40 milhões de seguidores no Twitter


Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o tabaco é responsável pela morte de mais de 7 milhões de pessoas no ano, disse ainda o Vaticano. O papa, que teve problemas em um pulmão quando era jovem, não fuma.

O Vaticano tem cerca de 6 mil funcionários e recebe milhares de visitantes por dia. Suas lojas são isentas de impostos. Em 2002, o Vaticano promulgou uma lei que proibia o fumo em locais públicos.

Veja também

Trump dá indulto a ex-conselheiro que se disse culpado
internacional

Trump dá indulto a ex-conselheiro que se disse culpado

TikTok obtém novo prazo para vender ativos nos EUA
tecnologia

TikTok obtém novo prazo para vender ativos nos EUA