Pedras lunares ajudaram a conhecer o universo

As rochas chegaram à Terra pelas mãos dos astronautas que integraram as seis missões que os Estados Unidos enviaram à Lua entre 1969 e 1972

Foto oficial da tripulação da missão Apollo 11Foto oficial da tripulação da missão Apollo 11 - Foto: Divulgação/Nasa

A Lua é "a pedra de Rosetta do sistema solar": 382 quilos de rocha do satélite que astronautas americanos trouxeram à Terra transformaram o conhecimento do universo. Acizentadas e à primeira vista nada interessantes, as pedras lunares são "os materiais mais preciosos na Terra", afirma Samuel Lawrence, especialista em planetas da Nasa. "A Lua é a pedra angular da ciência planetária", destaca.

Estas rochas chegaram à Terra pelas mãos dos astronautas que integraram as seis missões que os Estados Unidos enviaram à Lua entre 1969 e 1972. Muitas descobertas sobre o universo aconteceram graças às mostras transportadas na Apollo 11, a primeira missão que levou humanos ao satélite e que em julho completa 50 anos. "As pessoas não percebem a importância de estudar as mostras da Apollo para compreender nosso sistema solar e o universo que nos cerca."

Os cientistas compreenderam, entre outras coisas, como nasceu o satélite, resultado de um grande impacto há entre 4,3 e 4,4 bilhões de anos, quando também se formou o planeta azul. Os destroços que foram espalhados como resultado do impacto vagaram pelo espaço na órbita da Terra até que várias centenas de milhões de anos depois foram compactados até formar a Lua.

Leia também:
Os 50 anos da chegada do homem à lua
Chegada do homem a lua influenciou a cultura
Relembre o tempo real dos primeiros passos do homem na Lua
Homem na Lua: um marco na história das 'fake news'


Algumas pedras estão expostas ao público, principalmente no Centro Espacial Johnson em Houston, no Texas. O presidente Richard Nixon também doou pequenos pedaços às 135 nações. Mas a maior parte está em "contêineres lacrados em um cofre seguro que pode suportar furacões e muitos desastres naturais" no laboratório de mostras lunares da Nasa, também em Houston. Como precaução, parte também pode ser encontrada em White Sands, no Novo México.

Veja também

Carrefour anuncia fundo de R$ 25 milhões para combate ao racismo no país
Beto Freitas

Carrefour anuncia fundo de R$ 25 milhões para combate ao racismo no país

Estudo da Coronavac no Brasil chega à fase final com número mínimo de infectados
vacina

Estudo da Coronavac no Brasil chega à fase final com número mínimo de infectados