Pedreiro preso por matar Remís Carla é encaminhado ao presídio

Paulo César de Oliveira Silva foi conduzido para o Cotel após audiência de custódia

Paulo César foi preso no mesmo dia em que o corpo de Remís Carla foi encontradoPaulo César foi preso no mesmo dia em que o corpo de Remís Carla foi encontrado - Foto: Arthur Mota

Autuado em flagrante por ocultação de cadáver, o pedreiro Paulo César de Oliveira Silva, de 25 anos, que matou a namorada, a estudante de pedagogia Remís Carla da Costa, de 24 anos, foi encaminhado na tarde deste domingo (24) para o Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife. Ele passou por uma audiência de custódia no Fórum Desembargador Rodolfo Aureliano, no bairro de Joana Bezerra, na área central do Recife.

Na audiência, que começou às 13h e terminou por volta das 15h, chegou a ser arbitrada uma fiança no valor de R$ 30 mil. A defesa de Paulo César solicitou diminuir o valor pela metade, porém, a possibilidade de pagamento de fiança acabou sendo descartada e o juiz plantonista Abérides Niceas manteve a prisão preventiva do acusado, que foi conduzido para o Cotel.

Entenda o caso
Remís Carla estava desaparecida desde o último dia 17, data em que aconteceu o crime. A prisão de Paulo César ocorreu no dia 23, quando o corpo da estudante foi encontrado, perto da residência do pedreiro, no bairro da Caxangá, na Zona Oeste. Ele estava no município de Vicência, localizado na Zona da Mata Norte pernambucana, e foi transferido para o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), na Capital, onde confessou haver sido o autor do crime. O cadáver, localizado pelo Grupo de Operações Especiais (GOE), da Polícia Civil de Pernambuco, após denúncia anônima, estava em avançado estado de decomposição, enterrado no terreno do condomínio Nova Morada.

Em depoimento, Paulo César informou que, no dia do crime, eles discutiram e que a jovem estava alterada. O motivo da briga foi porque ele havia quebrado o celular dela durante uma discussão. O Grupo Especializado em Perícias de Homicídios, do DHPP, constatou que o namorado apertou o pescoço de Remís Carla até a morte.

O sepultamento do corpo da estudante aconteceu também neste domingo (24), em clima de grande comoção e indignação, no Cemitério Campo Santo São José, no município de Paulista, na área norte da Região Metropolitana do Recife.

Veja também

Bairros do Recife ficam 'às escuras' na noite desta quinta (13)
Recife

Bairros do Recife ficam 'às escuras' na noite desta quinta (13)

Correntes humanas nas calçadas, greves e demissões elevam grau de protesto na Belarus
internacional

Correntes humanas nas calçadas, greves e demissões elevam grau de protesto na Belarus