PF investiga fraudes na previdência no Pará

Operação Colinas de Rocha foi deflagrada pela PF para concluir investigação envolvendo fraudes cometidas por um grupo empresarial criminoso em fundos de Previdência de servidores de municípios do estado do Pará.

Polícia FederalPolícia Federal - Foto: Tomaz Silva / Agência Brasil

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta quarta-feira (11) a Operação Colinas de Rocha, para concluir investigação envolvendo fraudes cometidas por um grupo empresarial criminoso em fundos de Previdência de servidores de municípios do estado do Pará. Os policiais federais cumprem dez mandados de prisão preventiva e 17 de busca e apreensão em endereços nos estados do Pará, do Amapá, de Tocantins e de Santa Catarina.

Leia também:
PF cumpre mandados de busca e apreensão autorizados pelo STF
Grupo que fraudava previdência de Vitória de Santo Antão é desarticulado pela PF


Segundo a PF, o grupo agia irregularmente no mercado financeiro, "captando recursos de institutos de Previdência de servidores municipais para aplicação no Sistema Financeiro Nacional". O Fundo de Previdência de Oeiras do Pará foi um dos alvos do grupo criminoso. As investigações constataram desvios de mais de R$ 14 milhões. A quantia equivale a mais da metade dos recursos do instituto de previdência do município.

Veja também

Barroso manda governo proteger três terras indígenas da Covid-19 e diz que "situação é gravíssima"
Coronavírus

Barroso manda governo proteger três terras indígenas da Covid-19 e diz que "situação é gravíssima"

OAB define que metade dos cargos de direção da ordem deverá ser ocupada por mulheres
Equidade

OAB define que metade dos cargos de direção da ordem deverá ser ocupada por mulheres