Prefeitura de Paris tenta tranquilizar sobre contaminação por chumbo na Notre-Dame

Com o incêndio de 15 de abril, centenas de toneladas de chumbo presentes na agulha e no telhado se fundiram e se dispersaram em forma de partículas

Incêndio atingiu a catedral de Notre-Dame em abril deste ano Incêndio atingiu a catedral de Notre-Dame em abril deste ano  - Foto: AFP

A Prefeitura de Paris tentou nesta terça-feira dissipar o temor de uma contaminação pelo chumbo dispersado durante o incêndio da catedral de Notre-Dame, negando a possibilidade de isolar o local, como exige um coletivo de associações e sindicatos.

Com o incêndio de 15 de abril, centenas de toneladas de chumbo presentes na agulha e no telhado se fundiram e se dispersaram em forma de partículas."Todos os exames que realizamos em um raio de 500 metros em torno da Notre-Dame deram negativo, ou seja, não há nenhum perigo", assegurou nesta terça-feira Emmanuel Grégoire, primeiro adjunto da Prefeitura de Paris.

Na segunda-feira à noite, a cidade publicou resultados de novos exames e centros de saúde das imediações, que indicavam uma média menor a 70 microgramas de chumbo por metro quadrado.

Leia também:
O medo silencioso das centenas de turistas confinados na Notre Dame
Homem ataca policial e é baleado perto da catedral de Notre Dame


As autoridades sanitárias aconselham que as pessoas expostas a mais de 70 microgramas, um nível ultrapassado em parte do centro de Paris após o incêndio, se submetam a exames de sangue.

Entretanto, foram detectados níveis de chumbo superiores a 2.000 microgramas/m2 no exterior de três escolas localizadas fora desse perímetro.

Esses centros serão "alvo de uma limpeza profunda" antes do início do período escolar, prometeu Grégoire, e "não abrirão até que não tenhamos a recomendação da Agência Regional de Saúde (ARS), que é de 1.000 microgramas/m2".

Veja também

Trump deve votar na Flórida no sábado, diz Casa Branca
eua

Trump deve votar na Flórida no sábado, diz Casa Branca

Com nova alta de contágios, Europa revive confinamento e tem toque de recolher
Coronavírus

Com nova alta de contágios, Europa revive confinamento e tem toque de recolher