Presidente do Uruguai Tabaré Vázquez tem câncer de pulmão

A doença de Vázquez, que governa o Uruguai pela segunda vez desde 2015 e que termina seu mandato em março de 2020, surpreendeu o país em plena campanha presidencial

Presidente do Uruguai Tabaré VázquezPresidente do Uruguai Tabaré Vázquez - Foto: Reprodução/ El comercio

O presidente uruguaio Tabaré Vázquez, de 79 anos, tem um tumor maligno no pulmão, confirmou seu médico nesta sexta-feira, após uma intervenção para diagnosticar a doença.

"A presença de um tumor maligno foi confirmada", disse seu médico em um comunicado da presidência uruguaia.

Vázquez, um oncologista que dedicou parte de sua ação política ao combate ao tabagismo e ao câncer de pulmão, "está em excelente estado e superou sem complicações a intervenção".

Leia também:
Petrobras e Uruguai firmam acordo sobre distribuidoras de gás
Um morto e 8.800 desabrigados por inundações no Uruguai


Com o tom tranquilo que o caracteriza, o presidente havia anunciado na terça-feira passada que havia descoberto um "nódulo pulmonar" com aparência maligna, o que lhe obriga a ser internado para obter um diagnóstico definitivo, que deverá ser disponibilizado nos próximos dias. O tratamento dependerá desse resultado.

A doença de Vázquez, que governa o Uruguai pela segunda vez desde 2015 e que termina seu mandato em março de 2020, surpreendeu o país em plena campanha presidencial para as eleições de 27 de outubro.

O presidente pertence ao Frente Ampla, que governa o Uruguai desde 2005 e que chegou por primeira vez ao poder liderado pelo próprio Vázquez.

O presidente foi reconhecido e premiado por sua luta contra o tabaquismo e conseguiu tornar o Uruguai no primeiro país livre de fumaça de tabaco na América Latina em 2006, e o quinto do mundo, ao proibir fumar em espaços públicos fechados.

Veja também

França lança grande operação contra militantes islâmicos após decapitação de professor
internacional

França lança grande operação contra militantes islâmicos após decapitação de professor

Cientistas propõem que Covid-19 seja tratada como sindemia; entenda o termo
Quando 1+1 é maior do que 2

Cientistas propõem que Covid-19 seja tratada como sindemia; entenda o termo