Quatro filhotes de raposa perdem a mãe e são levados à CPRH

Policial veio de Sairé, no Agreste do Estado, para fazer a entrega voluntária ao órgão ambiental

Filhote de raposaFilhote de raposa - Foto: CPRH/divulgação

Uma nova entrega voluntária marcou a semana na Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH). O soldado da Polícia Militar de Pernambuco Ronmel Santos de Miranda deixou o município de Saíré, no Agreste do Estado, a pouco mais de cem quilômetros do Recife, e veio à capital entregar quatro filhotes de raposa que encontrou no sítio de sua propriedade. A atitude pode ter sido fundamental para salvação dos animais: os filhotes estavam famintos, ao lado do corpo da mãe, morta, possivelmente por envenenamento.

Leia também:
Comerciante salva iguana do cativeiro
Capivara salva por pedreiro é solta pela CPRH
Guaxinim passa por transfusão de sangue e reage bem
Jacaré é capturado por barqueiros no Marco Zero, no Recife


A hipótese do envenenamento foi levantada pelo próprio Rommel devido a recentes  ataques a galinhas na região. “Acredito que tenha sido envenenada. Moradores estão reclamando que as galinhas estão sendo atacadas e pode ser que tenha sido isso. Os filhotes estavam bastante assustados”, comentou.

Preocupado com a preservação da espécie e em passar a defesa do meio ambiente para os filhos, ele esteve na CPRH, no bairro de Casa Forte, na Zona Norte do Recife, para fazer entregar os filhotes, acompanhado da família. “Para nós, é gratificante deixá-los aqui. Se ficassem por lá, possivelmente também morreriam”, disse.

Os filhotes foram encaminhados ao Centro de Tratamento de Animais Silvestres de Pernambuco (Cetas Tangara), unidade da CPRH localizada no bairro da Guabiraba, também na Zona Norte, onde serão tratados. Segundo a agência, só quando estiverem em condições de sobrevirem sozinhos, serão soltos na natureza.

Veja também

Olinda inicia processo de matrícula 2021 para a rede municipal
Educação

Olinda inicia processo de matrícula 2021 para a rede municipal

Chefe da Polícia Civil que investiga caso Beto Freitas é a 1ª mulher na função no RS
Beto Freitas

Chefe da Polícia Civil que investiga caso Beto Freitas é a 1ª mulher na função no RS