Rússia destrói último lote de armas químicas

Inicialmente, o governo russo tinha previsto destruir todo seu arsenal químico em 2012

Presidente Vladimir Putin em cerimônia de fim das armas químicas russasPresidente Vladimir Putin em cerimônia de fim das armas químicas russas - Foto: Mikhail Klimetyev/AFP

A Rússia destruiu nesta quarta-feira (27) seu último lote de armas químicas em uma cerimônia que foi acompanhada por uma delegação da Organização Internacional para a Proibição das Armas Químicas (Opaq).

"Se pode dizer, sem criar alarde, que é realmente um acontecimento histórico, levando em conta os arsenais de armas químicas que herdamos dos tempos soviéticos, com os quais poderíamos destruir várias vezes toda a vida da Terra", disse o presidente da Rússia, Vladimir Putin, em vídeo conferência com a usina Kizner, na região russa de Udmurtia.

Leia também:
China e Rússia iniciam manobras militares perto da Coreia do Norte
Casal suspeito de canibalismo é detido na Rússia


O chefe do Kremlin destacou que a Rússia cumpriu com os seus compromissos para a destruição de todas suas armas químicas três anos antes do previsto. Inicialmente, o governo russo tinha previsto destruir todo seu arsenal químico em 2012, mas devido à falta de financiamento, teve de adiar o plano até este ano.

Putin lembrou que a Rússia foi um dos primeiros países a assinar a Convenção sobre Armas Químicas, em vigor desde 1997, e sublinhou o esforço econômico que custou a destruição de todos os arsenais.

A Convenção sobre Armas Químicas previa que os 188 países signatários (entre os quais não figura a Coreia do Norte) destruiriam todo seu armamento químico antes de abril de 2012.

Veja também

Carro-bomba mata 30 membros das forças de segurança afegãs
Atentado

Carro-bomba mata 30 membros das forças de segurança afegãs

Trump perde outro recurso contra o resultado das eleições
EUA

Trump perde outro recurso contra o resultado das eleições