Saúde abre consulta pública para definir serviços da atenção primária

Profissionais de saúde, gestores, entidades médicas e demais cidadãos podem enviar contribuições à proposta apresentada

O Ministério da Saúde abriu consulta pública para definir os serviços essenciais que devem ser ofertados em todas as unidades de Saúde da Família que compõem a Atenção Primária à Saúde O Ministério da Saúde abriu consulta pública para definir os serviços essenciais que devem ser ofertados em todas as unidades de Saúde da Família que compõem a Atenção Primária à Saúde  - Foto: Wilson Dias/Agência Bras

O Ministério da Saúde abriu nessa segunda-feira (19) consulta pública para definir os serviços essenciais que devem ser ofertados em todas as unidades de Saúde da Família (USF) que compõem a Atenção Primária à Saúde (APS). Segundo o ministério, neste nível de atendimento, é possível resolver até 80% dos problemas de saúde, sem a necessidade de intervenção na emergência de Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs) ou de hospitais.

Profissionais de saúde, gestores, entidades médicas e demais cidadãos podem enviar contribuições à proposta apresentada. Para o secretário de Atenção Primária à Saúde, Erno Harzheim, a definição do conjunto de serviços traz transparência e é uma “potente ferramenta para que as pessoas possam fiscalizar, avaliar e qualificar a atenção primária brasileira.”

Leia também:
Olinda recebe mutirão com serviços de saúde
Secretaria de Saúde investiga possível morte por sarampo no Agreste
Ministério da Saúde tira dúvidas sobre transmissão do sarampo


Segundo o ministério, a falta de informações sobre quais são os serviços disponíveis em cada unidade dificulta o acesso do cidadão ao cuidado preventivo. Como não existe uma lista dos serviços essenciais, fica a critério do gestor e dos profissionais organizar o trabalho das equipes e a lista de serviços que a unidade oferta.

A proposta foi construída com base na revisão das carteiras de serviços oferecidos em seis capitais brasileiras (Rio de Janeiro, Florianópolis, Curitiba, Porto Alegre, Belo Horizonte e Natal). As contribuições podem ser feitas no formulário disponível na internet.

Veja também

Em evento no Recife, ministro da Educação diz que 140 prefeituras terão de prestar contas ao TCU
VERBA

Em evento no Recife, ministro da Educação diz que 140 prefeituras terão de prestar contas ao TCU

Em evento, ministro fala sobre retomada responsável do turismo
governo

Em evento, ministro fala sobre retomada responsável do turismo