Seis praias já foram atingidas pelo óleo no Estado

Segundo o secretário José Bertotti, foi feito o trabalho de contenção e limpeza nas praias atingidas, coordenado pela Defesa Civil do Estado, com apoio dos municípios e população

Coletiva de imprensa com o secretário de meio ambiente do Estado, José BertottiColetiva de imprensa com o secretário de meio ambiente do Estado, José Bertotti - Foto: Jose Britto/Folha de Pernambuco

Ao todo, seis praias já foram atingidas pelo óleo em Pernambuco: A ver o mar, Guaiamum e Ilha de Santo Aleixo, em Sirinhaém; Mamucabinhas, em Barreiros; Carneiros e Boca da Barra, em Tamandaré. O balanço foi divulgado na noite desta sexta-feira (18) pelo secretário estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade, José Bertotti, que integra a equipe da Sala de Situação instituída para tratar da questão. Pelo menos, vinte toneladas de óleo foram recolhidas nesta sexta-feira (18) nas praias do Litoral do Estado. Além disso, 600 litros do produto foram retirados em alto mar com ajuda de um barco da Marinha.

Segundo o secretário, foi feito o trabalho de contenção e limpeza nas praias atingidas, coordenado pela Defesa Civil do Estado, com apoio dos municípios e população. "Os rios Persinunga, Una e Formoso, em Tamandaré, também sofreram toque de óleo, mas no caso do rio Persinunga e Una já existem barreiras de contenção para que o óleo não cheguem nos estuários", disse Bertotti. O governo do Estado também instalou barreiras de contenção no rio Sirinhaém e Pontal de Maracaípe, apesar de o produto ainda não ter chegado lá. "Atuamos nesses estuários porque são as áreas de maior sensibilidade da vida marinha, que na prática funcionam como berçários". explicou o gestor.

Não se descarta a possibilidade de o óleo chegar em outras praias do litoral pernambucano. "Verificamos que essas manchas que têm chegado nas nossas praias estavam indo para o litoral de Sergipe e Bahia, mas existe uma corrente sul equatorial, que vem da África e sobe no sentido norte, com bifurcação exatamente próximo ao litoral entre Pernambuco e Paraíba", comentou o secretário. Bertotti disse ainda que o material coletado vai ter todo o tratamento necessário e será descartado em um aterro sanitário, pois se trata de um lixo contaminante.

Leia também:
Ipojuca monta esquema para se prevenir contra chegada de óleo
Vazamento de óleo no litoral do Nordeste é o maior do país, diz Procuradoria
Impacto ambiental das manchas de óleo deve durar décadas, diz especialista 

Na manhã deste sábado (19), o acompanhamento do litoral do Estado continuará sendo feito. "Vamos logo cedo fazer o monitoramento de helicóptero para verificar quais os pontos mais sensíveis para que a gente possa agir. Temos equipes mobilizadas em Maracaípe, São José da Coroa Grande, Mamucabinhas e estuários para que sejam feitas colocação das boias de contenção. Além das equipes já mobilizadas, fazemos a vistoria em outros locais para ver se novas manchas chegaram e deslocamos as equipes de acordo com a necessidade", comentou o secretário estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade.

Veja também

Barroso manda governo proteger três terras indígenas da Covid-19 e diz que "situação é gravíssima"
Coronavírus

Barroso manda governo proteger três terras indígenas da Covid-19 e diz que "situação é gravíssima"

OAB define que metade dos cargos de direção da ordem deverá ser ocupada por mulheres
Equidade

OAB define que metade dos cargos de direção da ordem deverá ser ocupada por mulheres