Sobem para 44 novos casos de coronavírus a bordo de cruzeiro no Japão

Cerca de 3.500 pessoas estão confinadas na embarcação. O Ministério da Saúde tem pedido que passageiros permaneçam em suas cabines até a próxima quarta-feira (19)

Navio cruzeiro "Diamond Princess" na costa de YokohamaNavio cruzeiro "Diamond Princess" na costa de Yokohama - Foto: CHARLY TRIBALLEAU / AFP

O Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social do Japão afirmou que outros 44 casos de infecção pelo coronavírus foram confirmados a bordo do navio de cruzeiro Diamond Princess.

Inclui-se um tripulante. Vinte nove infectados são japoneses. O aumento no total de passageiros e tripulantes infectados pelo vírus chega a 218. Atualmente, a embarcação encontra-se sob quarentena, atracada no porto de Yokohama, nas proximidades de Tóquio.

Leia também:
Profissionais do Samu recebem orientações sobre o coronavírus
Coronavírus: outras 39 pessoas a bordo de navio estão infectadas
Chega a 64 número de infectados em cruzeiro no Japão


Idosos
O governo do Japão decidiu permitir que algumas pessoas a bordo do cruzeiro Diamond Princess, afetado pelo surto de coronavírus, desembarquem na sexta-feira (14). Entre essas pessoas estão idosos que possuem problemas crônicos de saúde.

Cerca de 3.500 pessoas estão confinadas na embarcação. O Ministério da Saúde tem pedido que passageiros permaneçam em suas cabines até a próxima quarta-feira (19), período que marca o fim de uma quarentena de duas semanas imposta após a confirmação do primeiro caso.

Como há preocupação de que a saúde de alguns passageiros esteja se deteriorando, o ministério decidiu na quinta-feira (13) permitir que o desembarque de alguns deles. Funcionários da pasta informam que pessoas de 80 anos ou mais com problemas crônicos de saúde, e aquelas em cabines sem janelas, terão prioridade.

As autoridades dizem que aqueles que preencherem os requisitos e que desejarem desembarcar, terão permissão para fazê-lo amanhã, caso testem negativo para o vírus. Após deixar o navio, eles serão transferidos para instalações designadas pelo governo.

Veja também

Pantanal tem julho com maior número de queimadas já registrado
meio ambiente

Pantanal tem julho com maior número de queimadas já registrado

Explosões no porto do Líbano deixam 50 mortos e 2.750 feridos
Explosão

Explosões no porto do Líbano deixam 50 mortos e 2.750 feridos