Conselho da Caixa poderá afastar todos os vice-presidentes

Meirelles afirmou que os oito vice-presidentes que não foram afastados passarão por um novo processo de avaliação

Henrique MeirellesHenrique Meirelles - Foto: Wikimedia Commons

O novo estatuto da Caixa deve prever que todos os vice-presidentes passem por avaliação do Conselho de Administração, de acordo com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. A expectativa é que o documento seja aprovado na próxima sexta-feira (19).

Leia também
Conselho da Caixa poderá afastar todos os vice-presidentes
Cunha nega influência sobre Caixa e atribui nomeação a Temer
Caixa nomeia interinos para as vagas de vices afastados


Meirelles afirmou nesta quarta-feira (17) que os oito vice-presidentes que não foram afastados passarão por um novo processo de avaliação. "A partir de agora, todos os vice presidentes serão avaliados tecnicamente nos termos do estatuto", disse.

O novo estatuto confere ao colegiado poderes para nomear e exonerar os executivos. Com isso, a atribuição deixará de ser do presidente da República.
"Todos os diretores terão que passar por critério de avaliação técnica e serem confirmados pelo conselho. O conselho vai analisar a situação dos oito diretores que não foram afastados, mas que serão analisados para saber se ficam ou não, e os que foram afastados apresentarão sua defesa", afirmou Meirelles.

O presidente Michel Temer decidiu nesta terça-feira (16) afastar por 15 dias quatro vice-presidentes da Caixa, após recomendação do Banco Central e do MPF (Ministério Público Federal). São eles: Deusdina dos Reis Pereira (Fundos de Governo e Loterias), Roberto Derziê de Sant'Anna (Governo), Antônio Carlos Ferreira (área Corporativa) e José Henrique Marques da Cruz, chefe da área de Clientes, Negócios e Transformação Digital.

O ministro da Fazenda foi questionado, ainda, sobre se deve haver uma reavaliação da necessidade de manter todas as vice presidências do banco e disse que a discussão pode ocorrer no futuro. "O importante é definirmos prioridade. A questão número um do conselho é em relação aos quatro vice-presidentes que estão sujeitos a esse julgamento. Em segundo lugar, a avaliação dos demais vice-presidentes. Certamente, em determinado momento, sim, a estrutura é sempre objeto de discussão pra tornar a empresa cada dia mais eficiente", respondeu.

O anúncio da decisão de Temer de afastar os quatro vices ocorreu após a Folha de S.Paulo revelar que o Banco Central recomendou o afastamento deles. O pedido do BC foi encaminhado no dia 10 de janeiro à presidente do Conselho de Administração da Caixa, Ana Paula Vescovi, também chefe do Tesouro.

O Banco Central sugeriu que a Caixa Econômica Federal afaste os seus atuais vice-presidentes após investigações do próprio banco e do MPF apontarem suspeitas de corrupção e outras irregularidades envolvendo executivos da instituição. O Ministério Público pedia o afastamento dos 12 vices.

Veja também

Justiça Eleitoral já registrou mais de 55 mil pedidos de candidaturas
Eleições 2020

Justiça Eleitoral já registrou mais de 55 mil pedidos de candidaturas

Barroso defende trabalho da imprensa no combate à desinformação
STF

Barroso defende trabalho da imprensa no combate à desinformação