Gleisi Hoffmann (PT) chama de "ato de violência" celeridade do TSE em julgar Lula

"Julgamento feito às pressas passa por cima de ritos previstos na lei, como as alegações finais", questiona a petista

Gleisi Hoffmann disse que saiu preocupada de reunião porquê TSE: "a petição se tornou pública, o que pode levar à destruição de provas", disseGleisi Hoffmann disse que saiu preocupada de reunião porquê TSE: "a petição se tornou pública, o que pode levar à destruição de provas", disse - Foto: Evaristo Sá/AFP

A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann emitiu uma nota, ontra o que chamou de "ato de violência judicial" do TSE por acelerar o processo de julgamento sobre a candidatura do ex-presidente Lula (PT) - o julgamento começou  às 14h30 e deverá se alongar pela noite desta sexta-feira (31).

Leia também:
TSE aprova candidatura de Haddad como vice na chapa de Lula
TSE informa que julgará registro de Lula nesta sexta (31); acompanhe ao vivo
Julgamento 'expresso' é 'mais uma violência contra Lula', diz Gleisi

Confira a nota, na íntegra:

Ao incluir de última hora, na pauta da sessão extraordinária desta sexta (31), o julgamento do registro do candidato Lula, o Tribunal Superior Eleitoral comete mais uma violência judicial contra Lula e o povo que quer elegê-lo presidente.

O julgamento feito às pressas passa por cima de ritos previstos na lei, como as alegações finais, diferentemente do que ocorreu com outras candidaturas impugnadas, como as de Geraldo Alkmin e Jair Bolsonaro, baluartes do golpe do impeachment.

A defesa de Lula, protocolada ontem à noite, tem cerca de 200 páginas contendo provas e argumentos que certamente não foram lidos com a devida atenção pelos ministros, dada a evidente falta de tempo para tal.

Setores do Judiciário brasileiro vêm tratando Lula de forma parcial e discriminatória, inclusive nas cortes superiores. Contra ele, tudo se torna possível, até os mais flagrantes atropelos ao direito de defesa, às normas processuais, à Constituição.

Lula tem direito de ser candidato, conforme a lei brasileira e por determinação do Comitê de Direitos Humanos da ONU, que o estado brasileiro tem de cumprir. O povo brasileiro tem o direito de votar em que melhor o representa. E o Judiciário tem de fazer valer esses direitos.

Gleisi Hoffmann
Presidenta Nacional do PT"

Veja também

Chuva e pandemia levam pouca gente a curtir Dia dos Pais em espaços públicos do Recife
DOMINGO

Chuva e pandemia levam pouca gente a curtir Dia dos Pais em espaços públicos do Recife

Bando ataca agência da Caixa em Paudalho
Pernambuco

Bando ataca agência da Caixa em Paudalho