Huck veta vídeo que chama Lula de bandido e Bolsonaro de maluco

O apresentador reafirmou nesta segunda-feira (29) que não está na disputa presidencial

O apresentador Luciano Huck (PPS) faz doações para campanhas de correligionários O apresentador Luciano Huck (PPS) faz doações para campanhas de correligionários  - Foto: Reprodução/ Facebook

Ainda cotado para concorrer à Presidência da República em outubro, o apresentador Luciano Huck reafirmou nesta segunda-feira (29) que não está na disputa e desautorizou um vídeo que circula em redes sociais apresentando-o como candidato. No filme, que contém cenas da participação do comunicador da TV Globo e da mulher, Angélica, no "Domingão do Faustão", um locutor chama o ex-presidente Lula (PT) de bandido e o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC) de maluco.

Em postagem no Facebook, Huck diz que recebeu via WhatsApp a "peça publicitária pedindo apoio a uma suposta candidatura" e não sabe quem é o autor dela. "Mais uma vez reforço que não sou candidato. Agradeço pelo carinho e entusiasmo de quem produziu o material, mas é importante registrar que não fui consultado, que desconhecia a iniciativa e que ela não foi autorizada por mim", afirmou o apresentador.

"Além disso, vale pontuar que reprovo a linguagem utilizada contra os reais pré-candidatos que aparecem no vídeo", concluiu. Na gravação, de 2 minutos e 26 segundos, o narrador fala que Huck "pensa em ser candidato a presidente". E questiona: "Você quer ter alguém melhor para votar em 2018 ou prefere escolher entre os mesmos bandidos, malucos e despreparados de sempre?", enquanto aparecem lado a lado fotos de Lula, Marina Silva (Rede), Jair Bolsonaro, Geraldo Alckmin (PSDB-SP), Henrique Meirelles (PSD-SP) e Ciro Gomes (PDT-CE).

Em novembro, em artigo publicado na Folha, o comunicador afirmou que não seria candidato, mas que atuaria na política por meio de grupos de renovação como o Agora! e o RenovaBR. O vídeo que circula nas redes sociais menciona a participação de Huck nos "movimentos cívicos que estão tentando transformar o país desde 2013". No fim, o narrador pergunta se o espectador "quer poder votar nele [Huck] em 2018 ou prefere ficar entre o bandido do Lula e o maluco do Bolsomito".

'Roubar o povo'
Em tom elogioso, o locutor diz ainda que Huck se vale da televisão para "ajudar o maior número de pessoas em todo o Brasil", que está "envolvido em ONGs voltadas para educação, saúde e assistência social" e que, por ser "um bom comunicador", poderia explicar "as reformas necessárias".

Em outra cena, enquanto a tela exibe o título de uma notícia apontando que o apresentador e empresário teve lucro de R$ 8,6 milhões com diversos negócios em 2013, é dito que ele "já ganhou mais dinheiro do que conseguiria gastar no resto da sua vida e não precisará roubar o povo".

Na aparição no programa de Faustão, Huck falou de política e disse que não existe "salvador da pátria". Entusiastas de sua eventual campanha se animaram com a entrevista, no início deste mês, e voltaram a ver possibilidade de o apresentador entrar na disputa depois da confirmação da condenação de Lula no TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), na quarta-feira (24).

A decisão pode retirar o petista do pleito. Ele é hoje líder nas pesquisas -chega a 37% no Datafolha. A postagem de Huck na rede social nesta segunda despertou reações diversas. Parte dos seguidores incentivou a candidatura. Outros criticaram a ideia e disseram que entrar para a política seria oportunismo. E muitos aproveitaram a caixa de comentários para pedir ajuda para pessoas doentes, além de recauchutagem de carros e reforma de casas.

Veja também

Promotoria pede destituição de direção da FGV por suposta fraude na gestão Cabral
rio de janeiro

Promotoria pede destituição de direção da FGV por suposta fraude na gestão Cabral

Barroso fará convite para OEA acompanhar eleições municipais
justiça

Barroso fará convite para OEA acompanhar eleições municipais