Kim Kataguiri, do MBL, diz que será candidato a deputado federal pelo DEM

Kataguiri é a principal face midiática do grupo, que ganhou evidência durante o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, entre 2015 e 2016

Líder do MBL, Kim KataguiriLíder do MBL, Kim Kataguiri - Foto: Joel Silva / Folhapress

Kim Kataguiri, um dos líderes do MBL (Movimento Brasil Livre), afirmou que será candidato a deputado federal pelo DEM de São Paulo nas eleições de 2018. A filiação partidária ocorrerá na próxima semana, em Brasília.

"O DEM foi quem prometeu mais liberdade para defender o movimento dentro do partido, de votar como quiser", afirmou.

Kataguiri é a principal face midiática do grupo, que ganhou evidência durante o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, entre 2015 e 2016, por ser um dos articuladores das manifestações de rua pela saída da petista.

O líder do partido na Câmara, Rodrigo Garcia (SP), confirmou ter feito o convite para que Kataguiri se filiasse ao DEM. É a primeira eleição federal da qual o MBL participa. Em 2016, o movimento elegeu sete vereadores. O mais votado deles, Fernando Holiday (SP), também disputou pelo DEM e angariou 48 mil votos.

As negociações para a candidatura de Kataguiri, 22, estão em curso desde o início de 2017. O pré-candidato chegou a flertar com o Livres, então um braço do PSL (que deixou o partido após o anúncio da pré-candidatura de Jair Bolsonaro pela sigla), e ensaiou uma aliança com a ala jovem tucana, os chamados "cabeças-pretas". De acordo com Kataguiri, a ida para o DEM vem condicionada à liberdade de defender os ideais do movimento no partido.

Leia também:
Rodrigo Maia traça roteiro para disputar Planalto
Maioria prefere candidato de família pobre e honesto, aponta pesquisa

Nas eleições 2018, o DEM deve lançar pela primeira vez um candidato próprio à Presidência da República: o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (RJ), que lançou sua pré-candidatura na semana passada.
Kataguiri, porém, afirma que não apoiará o candidato de seu novo partido. "É inviável [a candidatura]. Acho que ele vai retirar", afirmou.

Segundo ele, o movimento, que pretende lançar 20 candidatos a deputado federal por diversos partidos (e tem como meta eleger 15), pretende endossar uma eventual candidatura de Flávio Rocha, dono da Riachuelo, que ainda não é filiado a nenhum partido.

Veja também

Facebook exclui 140 mil conteúdos durante a campanha eleitoral no primeiro turno
eleições

Facebook exclui 140 mil conteúdos durante a campanha eleitoral no primeiro turno

Juiz inocenta Dario Messer por crime que doleiro confessou em delação de junho
justiça

Juiz inocenta Dario Messer por crime que doleiro confessou em delação de junho