Oposição quer suspensão de Previdência na CCJ

O pedido será analisado pelo ministro Gilmar Mendes

CCJ da CâmaraCCJ da Câmara - Foto: Marcelo Casal J.r/Ag. Brasil

A oposição na Câmara quer suspender a votação da reforma da Previdência na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) marcada para esta terça-feira (23) até que seja levantado o sigilo determinado pelo governo sobre estudos que embasam a proposta.

O líder da oposição na Câmara, Alessandro Molon (PSB-RJ), afirmou nesta segunda-feira (22) que os líderes tentarão o adiamento com o presidente da CCJ, Felipe Francischini (PSL-PR), para a próxima semana.
  
Além disso, o deputado Aliel Machado (PSB-PR) entrou com um mandado de segurança no STF (Supremo Tribunal Federal) pedindo a suspensão da tramitação na comissão. O pedido será analisado pelo ministro Gilmar Mendes.

A oposição deve entrar ainda com um mandado de segurança na primeira instância da Justiça Federal, pedindo o levantamento do sigilo revelado pela Folha de S.Paulo.

Leia também:
CCJ suspende reunião e retomará na terça-feira a análise da reforma da Previdência
CCJ marca votação da reforma da Previdência para manhã desta quarta


"Não é razoável votarmos a matéria sem o conhecimento dos dados", afirmou Molon.

Os líderes da oposição se reunirão na noite desta segunda com parlamentares do centrão, para angariar apoio à reivindicação. A ideia é, caso não seja possível adiar a tramitação em acordo com Francischini ou pela via judicial, apresentar questões de ordem durante a sessão a fim de interromper sua análise.

Líderes do centrão têm demonstrado disposição para atrasar a instalação da comissão especial caso não haja liberação dos dados. No entanto, ainda há deliberação sobre se devem atrasar a tramitação na primeira fase.

"Essa questão do sigilo vai tumultuar muito, isso é muito sério", afirmou o líder do Podemos, José Nelto (GO).

Veja também

Mourão defende militares na Saúde, mas diz que Pazuello deve sair em agosto
governo

Mourão defende militares na Saúde, mas diz que Pazuello deve sair em agosto

Novo exame de Bolsonaro dá positivo para coronavírus, e presidente deve manter isolamento
bolsonaro

Novo exame de Bolsonaro dá positivo para coronavírus, e presidente deve manter isolamento