PF faz busca e apreensão em endereço de Janot após declaração sobre matar Gilmar

Janot contou a outros veículos de imprensa que, numa ocasião, foi armado ao Supremo com a intenção de matar Gilmar

O ex-procurador-geral da República, Rodrigo JanotO ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot - Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), autorizou uma ação de busca e apreensão pela Polícia Federal em endereço ligado a Rodrigo Janot, ex-procurador-geral da República, em Brasília.

A medida ocorre após declaração de Janot em que afirmou ter tido a intenção de assassinar o ministro Gilmar Mendes, em 2017.

Janot contou a outros veículos de imprensa que, numa ocasião, foi armado ao Supremo com a intenção de matar Gilmar e, em seguida, suicidar-se.

Leia também:
Temer rebate acusações e diz que Janot se revelou um 'insano homicida-suicida'
STF pode retirar porte de arma e proibir Janot de ir ao tribunal
Gilmar chama Janot de 'potencial facínora' e pede mudança na escolha do PGR

Gilmar reagiu e chamou Janot de "potencial facínora" e defendeu mudanças no sistema de escolha de ocupantes do cargo.

Ele atribuiu ao ex-procurador-geral um "grave problema psiquiátrico" e sustentou que isso atinge todas as medidas que apresentou e foram deferidas pela corte.

O ministro encaminhou ainda um requerimento ao colega Alexandre de Moraes, que comanda o inquérito que investiga ameaças a integrantes da Corte, pedindo providências contra o ex-procurador-geral da República.

Entre as providências estudadas estão a retirada do porte de arma de Janot e a proibição de que ele visite a Corte.

Veja também

Em evento no Recife, ministro da Educação diz que 140 prefeituras terão de prestar contas ao TCU
VERBA

Em evento no Recife, ministro da Educação diz que 140 prefeituras terão de prestar contas ao TCU

Em evento, ministro fala sobre retomada responsável do turismo
governo

Em evento, ministro fala sobre retomada responsável do turismo