PGR pede acesso a inquérito sobre investigação do caso Marielle

Na petição, Dodge explicou que o pedido de acesso é necessário para analisar possível federalização do caso

A vereadora Marielle Franco  foi assassinada em março de 2018A vereadora Marielle Franco foi assassinada em março de 2018 - Foto: Reprodução/Instagram

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu nesta sexta-feira (16) ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) cópia do inquérito policial aberto no Rio de Janeiro para apurar supostas irregularidades na investigação do assassinato da vereadora Marielle Franco e de seu motorista Anderson Gomes.

Na petição, Dodge explicou que o pedido de acesso é necessário para analisar possível federalização do caso, ou seja, o deslocamento de competência para julgar o crime passaria da Justiça estadual para a Justiça Federal. Desde novembro do ano passado, a procuradoria analisa suposta tentativa de obstrução das investigações, mas a Justiça do Rio negou o compartilhamento de informações.

De acordo com a procuradora, o pedido de federalização "só pode ser analisado diante de evidências que foram coligidas no inquérito instaurado para verificar se havia o desvio ou deficiência na investigação". Além disso, Raquel Dodge disse na manifestação enviada ao STJ que há suspeitas do envolvimento de uma pessoa com prorrogativa de foro no tribunal na suposta obstrução das investigações.

Leia também:
Desembargadora que acusou Marielle de engajamento com bandidos vira ré por calúnia
Viúva de Marielle Franco diz estar otimista com rumo das investigações
Indeciso sobre sucessão de Dodge, Bolsonaro equipara PGR à Presidência da República

Respondem pelo homicídio da vereadora os ex-policiais Ronnie Lessa (reformado) e Élcio Queiroz (expulso da Polícia Militar). A vereadora Marielle Franco e seu motorista Anderson Gomes foram assassinados com vários tiros dentro do carro da parlamentar, no centro do Rio de Janeiro, em março de 2018.

Veja também

Moro defende prisão em 2ª instância para processos já iniciados, e não apenas novos
PEC

Moro defende prisão em 2ª instância para processos já iniciados, e não apenas novos

Bolsonaro diz que SP dá péssimo exemplo ao elevar impostos; Doria rebate e nega aumento
Política

Bolsonaro diz que SP dá péssimo exemplo ao elevar impostos; Doria rebate e nega aumento