Polícia nega falha de segurança durante ataque a Bolsonaro

A PM informou ainda que, inicialmente, o autor alegou questões pessoais para o ataque

Jair BolsonaroJair Bolsonaro - Foto: Divulgação

A Polícia Militar mineira negou nesta quinta-feira (6) que tenha havido falha de segurança durante ao ataque a faca contra o candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL).

"O suspeito foi imediatamente contido e preso pela Polícia Federal, que fazia a segurança do candidato. Diante do tumulto, a Polícia Militar ajudou a Polícia Federal e conseguiu arrecadar a faca. O autor foi conduzido à Delegacia de Polícia Federal", disse o coronel Nocelli, comandante da 4ª Região da Polícia Militar de Minas Gerais.

A PM informou ainda que, inicialmente, o autor alegou questões pessoais para o ataque, mas as declarações seriam feitas à Polícia Federal, que ainda iria apurar outras possíveis motivações. Também não foi informado se o homem possuiria vínculos com algum partido político.

Leia também:
Bolsonaro interrompe ato de campanha após ser esfaqueado, diz PM

"A princípio, pelo que apuramos, este cidadão agiu isoladamente", pontuou Nocelli, que não considerou ter ocorrido falha na segurança. "O número de presentes era muito grande. Então, a Polícia Federal teve uma resposta oportuna e rápida."

Informações de pessoas ligados ao PSL, partido de Bolsonaro, afirmaram que o deputado havia sido orientado por setores de inteligência a não fazer o trajeto a pé, mas que o próprio candidato haveria decidido caminhar entre seu apoiadores, que compareceram em grande número ao Centro de Juiz de Fora. A PM não fez estimativa do número de pessoas que partilhavam da concentração.

Veja também

Bairros do Recife ficam 'às escuras' na noite desta quinta (13)
Recife

Bairros do Recife ficam 'às escuras' na noite desta quinta (13)

Correntes humanas nas calçadas, greves e demissões elevam grau de protesto na Belarus
internacional

Correntes humanas nas calçadas, greves e demissões elevam grau de protesto na Belarus