'Por que essa pressão em cima de um filho meu?', questiona Bolsonaro sobre Eduardo

Bolsonaro ressaltou que não há impedimento na indicação e disse que ela atende o interesse público

Eduardo Bolsonaro e Jair BolsonaroEduardo Bolsonaro e Jair Bolsonaro - Foto: Reprodução/ Facebook

O presidente Jair Bolsonaro reagiu nesta quinta-feira (18) às críticas contra a indicação de seu filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), para o posto de embaixador nos Estados Unidos.

Na saída do Palácio do Alvorada, onde parou para cumprimentar simpatizantes, ele questionou por que há tanta polêmica sobre o assunto, já que, segundo ele, indicações políticas são feitas também em outros países para postos diplomáticos.

Leia também:
Indicação de Eduardo Bolsonaro para embaixada divide empresários
Nos EUA, Damares defende Eduardo Bolsonaro, 'um menino culto', como embaixador
Bolsonaro precisa avaliar se Eduardo tem condições de assumir embaixada, diz Maia

"Por que essa pressão em cima de um filho meu? Ele é competente ou não é competente? Dentro do quadro das indicações políticas, vários países fazem isso. E é legal fazer no Brasil também", disse.

O presidente citou como exemplo a indicação do ex-deputado federal Tilden Santiago (PT-MG) para o posto de embaixador em Cuba pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "O Tilden Santiago não foi reeleito em 2002, foi ser embaixador em Cuba, ninguém falou nada", disse.

Bolsonaro ressaltou que não há impedimento na indicação e disse que ela atende o interesse público, uma vez que Eduardo teria boa relação com o governo do presidente Donald Trump. "Tem algum impedimento? Não tem impedimento. Atende o interesse publico. Qual o grande papel do embaixador? Não é o bom relacionamento com o chefe de estado daquele outro país? Atende isso? Atende. É simples o negócio", disse.

O porta-voz da Presidência da República, general Otávio Rêgo Barros, afirmou na terça-feira (16) que o Palácio do Itamaraty já tem pronta uma minuta do documento pelo qual o governo dos Estados Unidos será consultado sobre a indicação.

Em outra frente, o Palácio do Planalto também negocia a aprovação do nome de Eduardo pelo Legislativo. Bolsonaro já tratou do assunto com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Pelas contas feitas pelo governo, nesta quinta-feira (18) Eduardo teria um placar apertado na Comissão de Relações Exteriores: um apoio de 8 dos 17 integrantes do colegiado. Por isso, o Palácio do Planalto já admite a possibilidade de que o tema seja levado ao plenário, onde o governo teria vantagem.

Veja também

Lava Jato de SP faz operação contra Paulinho da Força por suspeita de crime eleitoral
Lava Jato

Lava Jato de SP faz operação contra Paulinho da Força por suspeita de crime eleitoral

Gilmar diz que não atingiu honra do Exército e volta a criticar militares na Saúde
STF

Gilmar diz que não atingiu honra do Exército e volta a criticar militares na Saúde