PSB marca reunião para ambientar Joaquim Barbosa na política

No encontro, também devem ser discutidas diretrizes econômicas e sociais que Barbosa defenderia em uma campanha, que deve misturar uma agenda liberal com questões sociais

Joaquim BarbosaJoaquim Barbosa - Foto: Divulgação

Com o objetivo de traçar os próximos passos para uma possível candidatura à Presidência da República, a cúpula do PSB se reúne com o ex-ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Joaquim Barbosa nesta quinta-feira (19), em Brasília.

Será uma recepção com o objetivo de ambientar Barbosa no meio político, já que o ex-ministro se filiou ao partido no último dia 6, após meses de negociação.

No encontro, também devem ser discutidas diretrizes econômicas e sociais que Barbosa defenderia em uma campanha, que deve misturar uma agenda liberal com questões sociais.

Nesta terça (17), o governador paulista Márcio França chegou a cogitar que a candidatura de Barbosa se una à do ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB). França, que era vice do tucano, diz que até agora só esteve com Barbosa um único dia e "ficou muito bem impressionado", mas "neste instante, o governador Alckmin é o mais preparado para ser presidente da República". 

Leia também:
Marina acena ao PSB, mas não quer ser vice de Barbosa
Há demanda para que Joaquim Barbosa visite Pernambuco

São esperados no encontro os governadores que fazem parte da legenda - além de França, Paulo Câmara (Pernambuco), Ricardo Coutinho (Paraíba) e Rodrigo Rollemberg (Distrito Federal)- e os líderes do partido na Câmara e Senado, Júlio Delgado (MG) e Lídice da Mata (BA). 

Também devem estar no evento alguns dos articuladores da candidatura de Barbosa, como o ex-deputado Beto Albuquerque (RS), o presidente da legenda, Carlos Siqueira e o ex-governador do Espírito Santo Renato Casagrande.

Esses políticos devem compor a linha de frente da coordenação nacional da candidatura de Barbosa.
Em pesquisa de intenção de votos do Datafolha, publicada no fim de semana, o ex-ministro oscila de 9% a 10% e aparece entre os quatro primeiros colocados.

Barbosa nunca disputou uma eleição, mas ganhou notoriedade pela forma como conduziu o julgamento do mensalão no STF, em 2012. Ele foi visto na época como algoz do PT ao determinar a prisão de 12 réus condenados, entre eles o ex-presidente do partido José Genoino e o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu.

Veja também

Humberto Costa diz que vai cumprir decisão nacional do PT pela candidatura de Marília
blog da folha

Humberto Costa diz que vai cumprir decisão nacional do PT pela candidatura de Marília

Justiça bloqueia R$ 11,3 milhões de Alckmin em inquérito sobre caixa 2
Bloqueio

Justiça bloqueia R$ 11,3 milhões de Alckmin em inquérito sobre caixa 2