TRF retira processo contra Paulo Preto da Lava Jato

Com a decisão, o ex-diretor não vai responder às acusações na 13ª Vara Federal em Curitiba

Paulo Preto, ex-diretor da DersaPaulo Preto, ex-diretor da Dersa - Foto: Arquivo/Agência Brasil

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região, sediado em Porto Alegre, decidiu que o ex-diretor da Dersa (Desenvolvimento Rodoviário S/A) Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto, deverá responder pelo crime de lavagem de dinheiro na Justiça Federal de São Paulo.

Com a decisão, o ex-diretor não vai responder às acusações na 13ª Vara Federal em Curitiba, juízo que comanda as investigações da Operação Lava Jato.

A decisão foi tomada nessa quarta-feira (2) pela 8ª Turma do TRF, responsável pelo julgamento dos recursos de investigados na operação. Por unanimidade, o colegiado aceitou pedido da defesa de Paulo Preto e entendeu que a 13ª Vara Federal não tem competência para julgar o caso, que não está relacionado com as investigações da Lava Jato.

Leia também:
Fachin manda soltar ex-gerente da Petrobras preso na Lava Jato
STF adia decisão sobre recurso que pode anular condenações da Lava Jato
Desembargador do TRF cassa decisão de Bretas e libera viagem de Temer a Oxford


Paulo Preto foi preso na 60ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada em março, mas ganhou um habeas corpus em seguida. Nesta fase, a operação investiga um complexo esquema de lavagem de dinheiro de corrupção praticada com a Odebrecht. Paulo Preto é apontado como operador de supostos esquemas de corrupção em São Paulo. Pelos cálculos da procuradoria, as transações investigadas superam R$ 130 milhões.

Veja também

Candidatos a vereador replicam histórias compradas na internet
Eleições 2020

Candidatos a vereador replicam histórias compradas na internet

Com nova regra para as coligações, critério para gastar vira dúvida
Eleições 2020

Com nova regra para as coligações, critério para gastar vira dúvida